Além de oferecer educação de qualidade, as Instituições de Ensino Superior (IES) precisam, atualmente, formar estudantes com uma visão globalizada. Por isso, muito tem sido falado sobre a internacionalização do ensino superior. Mas como ela funciona e de que forma pode contribuir com os estudantes?

Uma IES com um projeto de internacionalização funcional deve formar profissionais com uma visão ampla de sua área de conhecimento. Eles devem compreender, em mesmo nível de profundidade, aspectos locais e globalizados. Essa visão deve estar inserida na matriz curricular dos cursos, de forma que façam parte das discussões do dia a dia em sala de aula.

O corpo docente tem grande responsabilidade nesse processo. Desta forma, instituições compromissadas com a internacionalização buscam professores com experiência em empresas multinacionais, que já tenham estudado fora do País e possuam relações com profissionais em diferentes localidades. Com esse conhecimento, os docentes podem apresentar aos estudantes uma visão diferenciada e trazer essa vivência internacional para atividades dentro do espaço universitário.

O relacionamento com outros países, inclusive, é um dos grandes diferenciais dessa proposta, pois os acordos com outras instituições de ensino facilitam o intercâmbio acadêmico, propiciam a realização de cursos em outros lugares e facilitam o aprendizado de outros idiomas.

Viu por que a internacionalização do ensino superior é tão importante? A Metodista possui uma Assessoria de Relações Internacionais totalmente voltada à essa proposta. Conheça mais sobre a visão global da Instituição!

Leia também

Cadastre-se para receber nossos informes e newsletters!