Seções
Faculdade de
Teologia
Ferramentas Pessoais
Você está aqui: Página Inicial Fateo Notícias Igreja Metodista celebra Dia da Escola Dominical

Igreja Metodista celebra Dia da Escola Dominical

registrado em:

A Igreja Metodista celebra, no terceiro domingo de setembro, o Dia da Escola Dominical. O Departamento Nacional de Escola Dominical, DNTC, oferece em seu site sugestões de estudos e cânticos para comemorar a data.

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O SITE DO DNTC


Leia também:

Escola Dominical: uma invenção metodista

Texto do historiador metodista João Wesley Dornellas (1932-2012)

A Escola Dominical, a mais importante agência de aprendizado bíblico e de evangelização da igreja, é uma invenção metodista. João Wesley, o fundador do movimento metodista, quando estava em sua missão na Geórgia, na América, já havia começado um trabalho especial de ensino bíblico para crianças. Mas a glória da criação da Escola Dominical cabe a uma mulher chamada Hanna Ball. Ela aceitou a Cristo através de um sermão de João Wesley no dia 8 de janeiro de 1765, quando tinha 22 anos. O sermão foi sobre Mateus 15:28: “Disse Jesus: Ó mulher, grande é a tua fé. Faça-se contigo como queres”. A partir daquele dia ela se tornou uma grande batalhadora da fé. No ano de 1769 Hanna Ball, uma jovem de 26 anos de idade, criou a primeira escola dominical. O testemunho de João Wesley ao trabalho de Hanna é eloqüente. Em muitas de suas cartas ele valoriza o trabalho por ela desenvolvido.

Onze anos mais tarde, em Gloucester, um jornalista metodista, Robert Raikes, criou a primeira escola dominical para os meninos de rua, ensinando-lhes, além da Bíblia, aritmética e inglês. Podemos dizer que ele é o “pai” da educação popular! Equivocadamente tornou-se conhecido como o criador da Escola Dominical, pois só anos mais tarde as pesquisas revelaram a jovem Hanna Baal.

A introdução da escola dominical no Brasil também se deve à Igreja Metodista. A primeira escola dominical em nossa terra foi fundada pelo Rev. Justin Spaulding em junho de 1836. Infelizmente, em 1842, em virtude dos problemas políticos e financeiros surgidos na Igreja Metodista dos Estados Unidos, o trabalho missionário foi interrompido por alguns anos. Na realidade, interrompeu-se a missão (os missionários regressaram aos EUA), não o trabalho, que certamente continuou vivo na casa de Mary Walker (o 1º membro da Igreja Metodista no Brasil!), mantendo acesa no Brasil a chama do metodismo até 1867 quando chegou o novo missionário e pastor, Junius Newman, e com ele a retomada definitiva da missão metodista no Brasil e da Escola Dominical como a principal agência de educação cristã e formação metodista.

Também é pioneirismo metodista a publicação de revistas para a escola dominical. O Rev. Ransom, o fundador do Expositor Cristão, editou, na nona década do século XIX as revistas “A nossa gente pequena”, para crianças, e “A Escola Dominical”, para adultos. Essa maravilhosa instituição é fator importante na ministração de conhecimentos bíblicos e orientação para o bom exercício da fé cristã. Por isso, é dever de todo o bom metodista participar de suas atividades.

João Wesley Dornellas
historiador Metodista e professor da Escola Dominical de Vila Isabel, RJ

Ações do documento
registrado em: