Seções
Você está aqui: Página Inicial jornal 78 A evolução das novas tecnologias na Educação

A evolução das novas tecnologias na Educação

As novas tecnologias trouxeram grande impacto sobre a Educação desenvolvida nos dias atuais, criando novas formas de aprendizado, disseminação do conhecimento e, especialmente, novas relações entre professor e aluno.

A revolução trazida pela rede mundial possibilita que a informação gerada em qualquer lugar esteja disponível rapidamente. A globalização do conhecimento e a simultaneidade da informação são ganhos inestimáveis para a humanidade.

A Internet tem contribuído fortemente para uma total mudança nas práticas de comunicação e, conseqüentemente, educacionais. Na leitura, na forma de escrever, na pesquisa e até como instrumento complementar na sala de aula ou como estratégia de divulgar a informação.

Em nossas escolas, isto não poderia ser diferente. Deixamos as pesadas enciclopédias de lado e substituímos seu uso pelas enciclopédias digitalizadas e pela consulta a portais acadêmicos virtuais. Passamos a utilizar sistemas eletrônicos e apresentações coloridas para tornar as aulas mais atrativas e, muitas vezes, deixamos de lado a tradicional lousa e giz. Muitos trabalhos passaram a ser subsidiados pelas informações disponíveis na rede mundial e, com isso, trouxeram benefícios e riscos, mudando as tradicionais formas de aprender e de ensinar.

A condução do processo de pesquisa por parte do professor também é indispensável quando analisamos a Internet como uma espécie de “território livre”, onde tudo pode ser publicado. O discernimento de fontes de informação e a análise de sua veracidade são outros papéis fundamentais desempenhados pelo professor. Só com essa participação é possível orientar o aluno para que ele não incorra em erros ou baseie-se em informações equivocadas.

Apesar de toda essa contribuição, é certo que a Internet não é a solução para todos os males, nem deve ser vista dessa maneira. No papel de ferramenta de apoio, ela não deve ser considerada como substituta a outras práticas, como o relacionamento humano dentro da sala de aula, entre professor e aluno e entre os estudantes. Isto porque a Internet depende de intermediações inteligentes e articuladas pré-estabelecidas para fornecer um ambiente de aprendizagem. Esse é o papel do professor: oferecer aos alunos orientação para consultas e pesquisas, aproveitando melhor a agilidade desse meio, uma das maiores vantagens das informações disponíveis na rede mundial.

Na Metodista, as novas tecnologias permitiram que, ainda na década de 80, investíssemos com pioneirismo na capacitação de nosso corpo docente, aprimorando os recursos humanos para as demandas que viriam a seguir. Elas estão presentes no ambiente de sala de aula, em nossos laboratórios e, mais do que isso, nossa forma de perceber e fazer a Educação.



MUITO TEM ACONTECIDO DESDE ENTÃO


Especialmente nos últimos anos, a Metodista passou a buscar novas formas para a democratização da Educação, a partir da ampliação da oferta de cursos oferecidos via Educação a Distância.

A criação dos pólos de educação a distância é o novo desafio do momento, que permitirá o oferecimento de cursos de graduação tradicional e tecnológicas, até a pós-graduação lato sensu. No final do ano passado, a Metodista foi credenciada pelo Ministério da Educação para oferecer cursos superiores a distância – Portaria MEC 4.386, de 15/12/05, permitindo que a Metodista ampliasse sua atuação nessa área.

Esta nova modalidade permitiu a criação do Campus EAD Metodista, uma nova concepção da Universidade, compreendida a partir do mundo virtual, que permitirá que alunos dos lugares mais longínquos tenham acesso a educação de qualidade que sempre primamos em oferecer.

Para concretizar esse projeto a Metodista já está investindo na capacitação de professores e aperfeiçoando práticas pedagógicas para essa nova “linguagem” educacional. Afinal, a qualidade do ensino praticado na Metodista e a confiança da comunidade acadêmica devem permanecer as mesmas, seja qual for a modalidade de aulas ministradas. Vale lembrar que, desde o ano passado, a Metodista vem avançando na Educação a Distância, implementando disciplinas e cursos de curta duração semipresenciais e mesmo cursos inteiramente a distância, como a recém-iniciada Pós-Graduação (Especialização) em Gestão de Políticas Públicas Participativas para as Cidades.

O que se percebe, enfim, é que as novas tecnologias trouxeram impactos sobre nosso dia-a-dia, exercendo importante papel nos desdobramentos dos serviços educacionais e proporcionando avanço para a democratização da Educação. A Educação a Distância irá requerer do aluno mais disciplina, motivação, além de uma nova forma de encarar o processo de ensino e aprendizagem. Mas essa mudança de hábito provocará, com certeza, uma nova cultura educacional, mais abrangente e democrática.

Ações do documento