Você está aqui: metodista Maiscidadania Sustentabilidade Biocombustíveis são fonte de energia limpa

Biocombustíveis são fonte de energia limpa

09/12/2008
Biocombustíveis são fonte de energia limpa

O presidente Lula e o presidente da Petrobrás, José Sérgio Gabrielli analisam amostras de biocombustível. Crédito: Agência Brasil

Os biocombustíveis são combustíveis de origem biológica. Eles são fontes de energias renováveis fabricados a partir de produtos vegetais, como milho, soja, cana-de-açúcar, mamona, canola, babaçu, cânhamo, lixo orgânico, entre outros. Os biocombustíveis podem ser usados tanto isoladamente, como adicionados aos combustíveis convencionais. A vantagem do uso desse produto é a redução significativa da emissão de gases poluentes, além de ser uma fonte de energia renovável. Biodiesel,  etanol,  metanol e carvão vegetal são exemplos de biocombustíveis.

Estudos realizados pelo governo brasileiro revelam que a utilização de biocombustíveis traz inúmeros ganhos para o meio ambiente. A utilização do etanol combustível  reduz a emissão de gases do efeito estufa, em especial o gás carbônico (CO2). Esta constatação representa um incentivo aos países que possuem compromissos de redução de emissões assumidos no Protocolo de Kioto. No Brasil, a utilização  do etanol combustível significou, no período de 1970 a 2005, a não emissão de 644 milhões de toneladas de CO2. Com esses resultados o País tem se tornado referência para o resto do mundo no processo de transformação dos biocombustíveis em commodities energéticas mundiais. O desenvolvimento de biocombustíveis líquidos, principalmente biodiesel e etanol, é fundamental para reduzir a dependência em relação ao petróleo, o qual responde por cerca de 98% da demanda mundial de combustíveis e cujo nível de preços impõe limites ao crescimento da economia mundial. Além disso, há a preocupação com o esgotamento das reservas mundiais de petróleo, sobretudo nos países em desenvolvimento.

Estratégia para a sustentabilidade


O Brasil adotou uma estratégia que associa preocupação com a segurança energética e sustentabilidade e suas ações são estruturadas em três vertentes: global, regional e bilateral. Na vertente global, o País defende a adoção de padrões e normas técnicas internacionais que permitam o estabelecimento de mercado global para esses produtos. Em 2007, foi criado em Nova Iorque o Fórum Internacional de Biocombustíveis. Ficou estabelecido que o objetivo do Brasil é o de estimular estudos científicos e inovações tecnológicas que garantam a sustentabilidade a longo prazo na produção de Biocombustíveis.

No âmbito regional, o Brasil estimula a integração energética da América do Sul por meio de incentivos às fontes de energias renováveis. Também foi assinado Memorando de Entendimentos do MERCOSUL para ampliar a cooperação no tema. A integração das cadeias de produção e de comercialização do etanol e do biodiesel na região – incluindo aspectos de regulação e fiscalização – visa a contribuir para o aproveitamento das importantes vantagens competitivas dos países sul-americanos no campo dos biocombustíveis, reconhecendo a oportunidade de se produzir riqueza e desenvolvimento de modo sustentável na região.O campo bilateral inclui a pesquisa de fontes alternativas para a produção de biocombustíveis.

Fonte: Ministério das Relações Exteriores

Entenda por que os Biocombustíveis estão em alta no mundo


Em 2007, o Brasil e os Estados Unidos responderam por 70% da produção mundial de etanol, ou seja, cerca de 35 bilhões de litros por ano. A produção mundial não passa de 50 bilhões de litros. O consumo de biocombustíveis corresponde, hoje, a 1% do mercado global. Dos 3,5 bilhões de litros de álcool combustível exportado em 2006, 2 bilhões foram para os Estados Unidos. A União Européia pretende, até 2010, consumir cerca de 10 bilhões de litros de biodiesel.

Há alguns fatores que estão levando à ascensão da agroenergia: segurança energética (redução da dependência em relação ao petróleo), preocupação ambiental (queima de combustíveis fósseis) e a inclusão social (plantio de safras que geram renda aos produtores rurais). Enquanto a produção de petróleo se concentra em 15 países, estima-se que existem mais de 120 países com potencial para produzir biocombustíveis. Além disso, as plantas mais indicadas para produzir essa matriz energética são características das regiões tropicais.

Segundo o Balanço Energético do Ministério de Minas e Energia de 2006, 44,7% da energia produzida no Brasil provém de fontes renováveis, que incluem, além do etanol e do biodiesel, as usinas hidrelétricas. A média mundial, conforme o mesmo balanço, está em torno de 15%.

Do dia 17 ao dia 21 de novembro de 2008 foi realizada a Conferência Internacional organizada pela Casa Civil e pelo Ministério das Relações Exteriores. Durante a semana, foram discutidos temas relacionados à segurança energética, sustentabilidade da produção e consumo, impacto sobre as mudanças climáticas, inovações tecnológicas, exportação do etanol brasileiro e o futuro dos biocombustíveis.

Fonte: Agência Brasil