delete

Revista ‘Economist’ vê evangélicos e populismo de Bolsonaro no front

A edição desta semana da revista britânica The Economist traz reportagem sobre os possíveis impactos que a reforma política brasileira terá nas próximas décadas. Segundo a publicação, a Lava-Jato revelou trouxe à tona a corrupção causada pelo financiamento empresarial de campanha. A Economist afirma que, agora, o Congresso começa a tentar saídas para os próximos pleitos, como cláusulas de barreira e o fundo de financiamento público. A revista, no entanto, vê a ascensão do populismo e da bancada religiosa como resultados desse processo. Em entrevista à publicação, Filipe Gruppelli Carvalho, da consultoria Eurásia, diz que “pessoas que já são famosas vão se beneficiar às custas...
delete

Eleições na Alemanha: “É um sinal de alarme”, avalia presidente das igrejas protestantes

“O alarme tocou para todos”. Esse foi o primeiro comentário do bispo luterano Heinrich Bedford-Strohm, presidente da Igreja Evangélica na Alemanha (EKD), poucas horas depois da contagem dos votos das eleições gerais que viram pela primeira vez, desde a Segunda Guerra Mundial, a entrada de um partido de extrema-direita e xenófobo no Bundestag: a “Alternative für Deutschland” (AfD). É um sinal de alarme “para todos aqueles que, em uma Alemanha aberta ao mundo, se preocupam com a vida coletiva pacífica e solidária do país”, prosseguiu Bedford-Strohm. Preocupado com a linguagem que marcou a campanha eleitoral, “ao som de gritos e insultos, fruto – declarou o bispo – de uma...
delete

Evangélicos apostam em ‘distritão’ para ampliar bancada na Câmara

Crescei e multiplicai-vos, como diz a passagem bíblica, serve também para ilustrar as ambições da bancada evangélica na Câmara em 2018. E o “distritão” pode catalisar os planos de expansão do bloco. Nos bastidores, igrejas e parlamentares ligados a elas já vislumbram esse possível efeito colateral do novo modelo para eleger deputados embutido na reforma política que o Congresso começou a discutir em 16 de agosto. O bloco evangélico, que em 1994 tinha 21 membros, quadruplicou para cerca de 85 (16,5%) dos 513 deputados atuais. Com ou sem “distritão”, um aumento já era esperado para o ano que vem,...
delete

Procuradoria-Geral Eleitoral vê abuso de poder religioso como “frequente” e difícil de evitar

A Procuradoria-Geral Eleitoral está preocupada com o crescimento de denúncias de casos de abuso de poder religioso. O vice-procurador-geral eleitoral, Nicolao Dino, afirmou ao UOL que vê os casos com “extrema preocupação”. “Em linhas regrais é um fenômeno que tem se revelado muito frequente”, diz, citando que, somente neste ano, foram seis pareceres dados pelo órgão de recursos que chegaram ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Existem dois tipos percebidos de fraudes eleitorais chegando ao TSE. Uma delas é a utilização dos recursos das igrejas –até com indução à contribuição e doação a candidaturas pelos fiéis. A outra forma é o...
delete

Abuso de poder religioso entra na mira da Justiça Eleitoral

O uso da religião como instrumento de captura de votos está no centro de um debate de juristas e deve chegar a instâncias superiores em breve. O termo “abuso de poder religioso” vem ganhando força em tribunais regionais e recentemente houve uma decisão monocrática do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) –ou seja, dada por um único membro desse colegiado — baseada nessa tese. O abuso de poder religioso não é algo previsto em lei, mas acusações desse tipo têm fomentado decisões em tribunais pelo país, sustentando a abertura de processos e afastando parlamentares do cargo. O assunto, porém, está apenas...