delete

Evangélicos apostam em ‘distritão’ para ampliar bancada na Câmara

Crescei e multiplicai-vos, como diz a passagem bíblica, serve também para ilustrar as ambições da bancada evangélica na Câmara em 2018. E o “distritão” pode catalisar os planos de expansão do bloco. Nos bastidores, igrejas e parlamentares ligados a elas já vislumbram esse possível efeito colateral do novo modelo para eleger deputados embutido na reforma política que o Congresso começou a discutir em 16 de agosto. O bloco evangélico, que em 1994 tinha 21 membros, quadruplicou para cerca de 85 (16,5%) dos 513 deputados atuais. Com ou sem “distritão”, um aumento já era esperado para o ano que vem,...
delete

“Quem seguir politicamente correto vai dançar”, diz o Pastor Silas Malafaia a Alckmin e Doria

Se apostarem no “politicamente correto”, podem ir se preparando para “seguir seu caminho” em 2018, pois os valores evangélicos são “inegociáveis”. Eis a mensagem que o pastor Silas Malafaia passou ao prefeito João Doria e ao governador Geraldo Alckmin, engalfinhados numa guerra de bastidores pelo título de presidenciável tucano na próxima eleição. Recado dado —e recebido com gargalhadas e mãos ao alto, em gesto de oração, pela dupla no último 17 de agosto, na abertura da ExpoCristã, feira do mercado evangélico. A birra maior é com a “ideologia de gênero”, disse Malafaia no palco onde Doria e Alckmin sentaram lado a lado, à...
delete

Estado laico: Bíblia, religião e escola?

É possível estudar História pela Bíblia? A pergunta foi feita por um aluno ao professor Di Gianne de Oliveira Nunes, da Escola Estadual Monsenhor Alfredo Dohr, em Lagoa da Prata (MG). A primeira resposta de Di Gianne foi que Teologia e História deveriam ser tratadas separadamente. A afirmação, não resta dúvida, encontra respaldo em nossa legislação, afinal, o Estado brasileiro é laico, ainda que o ensino religioso seja permitido como disciplina optativa, vedada qualquer forma de proselitismo. Como o tema da aula era o Império Romano, o estudante insistiu: “Professor, o senhor disse que havia diversas profissões no cotidiano...
delete

Procuradoria-Geral Eleitoral vê abuso de poder religioso como “frequente” e difícil de evitar

A Procuradoria-Geral Eleitoral está preocupada com o crescimento de denúncias de casos de abuso de poder religioso. O vice-procurador-geral eleitoral, Nicolao Dino, afirmou ao UOL que vê os casos com “extrema preocupação”. “Em linhas regrais é um fenômeno que tem se revelado muito frequente”, diz, citando que, somente neste ano, foram seis pareceres dados pelo órgão de recursos que chegaram ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Existem dois tipos percebidos de fraudes eleitorais chegando ao TSE. Uma delas é a utilização dos recursos das igrejas –até com indução à contribuição e doação a candidaturas pelos fiéis. A outra forma é o...
delete

Atuação evangélica na política é mais corporativa e menos cristã, entende professora de Ciências da Religião

Proibidos de exercer cargos eletivos pela Constituição de 1.824, o que começou a ser distendido com a chegada da República e cujo início formal na política se dá com a Constituinte de 1.934, os evangélicos somam hoje parcela numérica representativa no Congresso. São 85 deputados e dois senadores até este agosto de 2017, segundo contagem do DIAP (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar). Mas a atuação desses religiosos recebe reparos. “A pergunta é: em que medida a religião pode fazer a diferença na política? É um grande desafio, pois as bancadas evangélicas atuam voltadas para uma sociedade erguida sobre hierarquias...