Metodologia de Pesquisa Aplicada à Administração


Objetivos

Promover o estudo das etapas que o pesquisador deverá percorrer a fim de realizar sua pesquisa, com precisão e segurança, dando-se particular atenção às técnicas de Metodologia Científica. Oferecer subsídios necessários à compreensão do projeto de pesquisa como parte fundamental do processo de produção do conhecimento. Operacionalizar métodos por processos e diretrizes para desenvolver o espírito crítico dando embasamento para a elaboração da dissertação.


Justificativas

O curso de mestrado em administração pressupõe a produção de conhecimento na área, mediante um projeto de pesquisa para a elaboração de uma dissertação, com base em metodologia científica. Assim, torna-se fundamental que o pós-graduando esteja capacitado a escolher o tema, a abordagem metodológica, as técnicas para a coleta, análise e interpretação dos dados da pesquisa, com vistas à produção de conhecimento.


Ementa

Paradigmas da investigação social. Abordagens positivista e interpretativa. Micro e macro análises. Métodos de pesquisa social. Processo de pesquisa. Pesquisa nas organizações. Processo, métodos e técnicas de pesquisa qualitativa e quantitativa em administração. Projeto de pesquisa, relatório de pesquisa e artigo científico.


CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

  • Filosofia do Pensamento Científico
  • Abordagens de construção de conhecimento
  • Pressupostos ontológicos e epistemológicos
  • Principais abordagens: positivista / interpretativista e crítica
  • Abordagens alternativas
  • Métodos científicos clássicos
  • Estrudo de Caso
  • Pesquisa-ação
  • Survey
  • Instrumentos de captura de dados
  • Técnicas de análise de dados (quali-quanti)
  • Validação
  • Ética em Pesquisa

BIBLIOGRAFIA

[1] ECO, U., Como se faz uma tese. Tradução Gilson César Cardoso de Souza. 20 ed., São Paulo, Perspectiva, 2005.

[2] KUHN, T., A estrutura das revoluções científicas. 8 ed. São Paulo, Perspectiva, 2003.

[3] HUSSERL, E., A crise da humanidade européia e a filosofia. Introdução e tradução de Urbano Ziles, 2 ed, Porto Alegre, EDPUCRS, 2002.

[4] CASTRO, D.S.P., A articulação do método fenomenológico com as ciências humanas: a proposta do FENPEC-UMESP, In Fenomenologia e Análise do existir, org Dagmar S.P.C et al, SBCampo, Ed. UMESP, 2000, p. 41-64.

[5] HEGENBERG, L. (org), Métodos. São Paulo, EPU, 2005.

[6] THIOLLENT, M., Metodologia da Pesquisa-Ação. São Paulo, Cortez/autores associados, 1998.

[7] BRANDÃO, C.R., Repensando a pesquisa participante. São Paulo, Brasiliense, 1987.

[8] MOLINA, R., A pesquisa-ação no Brasil: mapeamento de produção (1966-2002) e os indicadores internos de pesquisa-ação colaborativa. www.usp.br/teses/disponíveis/48/48134

[9] HAGUETTE, T.M.F., Metodologias qualitativas na sociologia. 9 ed, Petrópolis, Vozes, 2003.

[10] VERGARA, S.C., Métodos de Pesquisa em Administração, São Paulo, Atlas, 2005.

[11] Asley, W.G. Administrative Science as Socially Constructed Truth. Administrative Science Quarterly. v.30, p: 497-513

[12] Katherine J. Klein; Fred Dansereau; Rosalie J. Hall. Levels issues in theory development, data collection, and analysis. The Academy of Management Review, Vol. 19, No. 2. (Apr., 1994), pp. 195-229.

[13] Evered, R. and Louis, M.R. Alternative Perspectives in the Organizational Sciences: Inquiry from the Inside and Inquiry from the Outside. Academy of Management Review. 6(3), 1981, p. 385-395

[14] Webster, J. and Watson, R. Analyzing the Past to Prepare for the Future: Writing a Literature Review. MIS Quarterly. (26:2). 2002

[15] Weick, K.E. Theory construction as disciplined imagination. The Academy of Management Review. 1989. v.14. p: 516-531

[16] Whetten, D.A. What Constitutes a Theoretical Contribution ? The Academy of Management Review. 14. p: 490-495

[17] Lagley, A. Strategies for Theorizing from Process Data. The Academy of Management Review. 1999. (24:4) p.691-711

[18] http://www.qual.auckland.ac.nz

[19] Morgan, G. and Smircich, L. The Case for Qualitative Research. Academy of Management Review. 5. 4(1980) p.491-500

[20] Eisenhardt, K. Building Theory from Case Study Research. Academy of Management Review. 1989. 14(4). p 535-550

[21] Dyer, W.G. and Wilkins, A.L. Better Stories, Not Better Constructs, to generate Better Theory: A Rejoinder to Eisenhardt. Academy of Management Journal. 1991. v.16(3). p 613-627

[22] Miles, M.B. e Huberman, A.M. Qualitative Data Analysis - An Expanded Sourcebook. London: Sage, 1994

[23] Sanchez, O.S. Erros comuns em Pesquisa. Apostila do PPGA

[24] Sanchez, O.S. Como avaliar artigos e trabalhos acadêmicos. Apostila do PPGA

[25] Sanchez, O.S. Como preparar artigos para publicação. Apostila do PPGA

[26] Bressan, F. O método do estudo de caso. Administração On-Line. Fecap.disponível em http://www.fecap.br/adm_online/art11/flavio.htm

[27] Yin, R.K. Estudo de Caso - Planejamento e Métodos 3.ed.– Bookman, 2004

[28] Thiollent, M.,; Pesquisa Ação nas organizações, São Paulo, Atlas, 1997.

[29] Sanchez, O.S. Conjunto de slides de uso em sala.

[30] Karl E. Weick. Theory Construction as Disciplined Imagination. The Academy of Management Review, Vol. 14, No. 4. (Oct., 1989), pp. 516-531.

Ações do documento