Você está aqui: metodista Portal de Publicações Científicas Mudanças Mudanças 14 (1) A deficiência como um “espelho perturbador”:uma contribuição psicanalítica à questão da inclusão de pessoas com deficiência

A deficiência como um “espelho perturbador”:uma contribuição psicanalítica à questão da inclusão de pessoas com deficiência

Maria Lúcia de Araújo Andrade & Márcia Oliva Soléra

Resumo

Visando contribuir com o debate sobre a “inclusão” da pessoa com deficiência que, especialmente na área da educação, tem provocado um “mal estar”, o presente artigo propõe uma reflexão a partir do referencial psicanalítico. Para isso, parte da noção do deficiente como um “espelho perturbador”, proposta por Pierre Fédida, para buscar, em seguida, uma articulação com as primeiras formulações teóricas sobre o “estádio do espelho” que foram desenvolvidas por Jacques Lacan e suas decorrências posteriores.

Descritores: deficiência mental (pseudodeficiência); educação especial (inclusão social); psicanálise; imagem corporal; Lacan, Jacques (1901-1981).


Abstract

Based on the psychoanalytic theory this article aims to contribute to the debate about social and psychological inclusion of challenging people, which has caused “discontents”1, especially in educational area. In order to do that, the authors take into consideration the notion of a challenged person as a “disturbing mirror”, as initially proposed by Pierre Fédida, and relates it with first theoretical formulation about “the mirror stadium”, constructed by Jacques Lacan, and subsequent developments.

Index-terms: mental retardation; body image; edu cation (special, trends); Lacan, Jacques (1901-1981).


Maria Lúcia de Araújo Andrade É Professora Titular do Departamento de Clínica do Instituto de Psicologia da USP; orientadora do Programa de Pós–Graduação em Psicologia Clínica da Universidade de São Paulo; Coordenadora Científica do Laboratório Sujeito e Corpo, SuCor; Psicanalista lacaniana. Tem publicações em que faz uma interface entre a psicanálise lacaniana e diferentes quadros tais como distúrbios psicomotores, psicose, síndromes genéticas, deficiências e pseudodeficiências, exclusão e inclusão social.

Márcia Oliva Soléra É psicanalista, membro do Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae, mestranda no Departamento de Psicologia Clínica da USP e diretora técnica da Associação Pestalozzi de Osasco.