Você está aqui: Página Inicial / Engenheiro agrônomo Roberto Resende explica sobre a Iniciativa Verde

Engenheiro agrônomo Roberto Resende explica sobre a Iniciativa Verde

por sophia.villanueva última modificação 17/03/2021 16h05
Foco da organização é contribuir para a preservação e qualidade ambiental com projetos de manejo, conscientização e conservação

Publicado em 17/03/2021 15h30

Última atualização em 17/03/2021 16h05

Engenheiro agrônomo Roberto Resende explica sobre a Iniciativa Verde
Especialista comenta das estratégias do programa Plantando Águas e relevância da restauração ambiental. Foto: Divulgação/Envolverde

BEATRIZ MIRELLE
Da Redação*

O presidente da Iniciativa Verde Roberto Resende foi o convidado do programa Diálogos Envolverde da última quinta-feira (11), na live "Plantar árvores para colher água”. Formado em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Viçosa, em Minas Gerais, e mestre em Ciência Ambiental pela Universidade de São Paulo, ele comentou sobre biodiversidade, ciclo da água e mudanças climáticas.

A Iniciativa Verde é uma organização focada em contribuir para a preservação e qualidade ambiental com projetos de manejo, conscientização e conservação. A principal atuação da rede ocorre em áreas rurais do Brasil. As quatro vertentes de programas da instituição são o Carbon Free, para compensação de carbono com restauração florestal; o Programa Nascentes, do Governo do Estado de São Paulo; o Plantando Águas, de proteção de recursos hídricos; e o Amigos da Floresta, direcionado à Mata Atlântica e Amazônia.

LEIA MAIS: Jornalista Issaaf Karhawi fala sobre o papel democrático das redes sociais digitais 

Restauração Ambiental 

Para Resende, ao falar sobre restauração muitas pessoas pensam somente na Amazônia, que é importante em níveis nacional e internacional. Mas biomas como a Mata Atlântica e o Cerrado também são fundamentais para a manutenção do ecossistema. "Esses dois estão em lugares onde a ocupação brasileira começou, localizados em meio as principais cidades e economias do país. Se nos atentarmos a isso, contribuiremos para a qualidade e quantidade harmonizada da água durante todo o ano."

O especialista destaca que trabalhar essa pauta em outras regiões permite instigar a mitigação do meio ambiente por meio da fixação do carbono e proteção de nascentes. A maior questão é que a maioria das terras da Mata Atlântica são propriedades privadas. "O código florestal regula o acesso nessas ocupações. A responsabilidade do proprietário de conservar e restaurar é colocada na legislação. Existem grandes dúvidas sobre incentivos e direitos, mas devemos pensar na função social."

O agrônomo entende que o reconhecimento sobre o papel das áreas conservadas traz diversos benefícios que não envolvem apenas a natureza. "Gera valor para o próprio imóvel. Além da manutenção da paisagem pela beleza em si, há a conservação da polinização, por exemplo." Sem vegetação nativa não haverá abelhas e outros insetos, o que afeta na produtividade das lavouras e no controle de pragas e doenças, que por sua vez, tem impacto entre os animais, plantas e os próprios moradores.

"A restauração em grande escala tem diversas dimensões. É essencial o apoio do Estado, não só em comando e controle, mas também para oferecer a captação de recursos." Dessa forma, Resende aponta que projetos como o Carbon Free, no qual pessoas e instituições financiam mecanismos de preservação, e o Programa Nascentes, com compensações ambientais por meio de voluntariado ou de editais de patrocínio, são formas de ajudar o proprietário rural a se conscientizar e zelar por essa questão.

OUÇA: Podcast - Momento Envolverde 019

Plantando águas

O presidente da Iniciativa Verde comenta que a estratégia do programa Plantando Águas é traçada a fim de interferir no ciclo hídrico e reduzir os prejuízos causados pela mudança climática e pelo ser humano. "A água é finita, não pode ser produzida. Nosso foco é melhorar a forma como ela será distribuída e a qualidade que terá." Assim, o primeiro foco é melhorar o manejo da terra, protegendo-a para que existam menos erosões e a água siga seu curso sem grandes chances de poluição. "Quando existe um solo bem preparado, a água fica guardada na terra e sai aos poucos, alimentando as nascentes e, posteriormente, os rios. Você segura os picos de chuva. Esse armazenamento é o que diferencia o processo."

Resende comenta que essa ação é conhecida há muito tempo, mas, com o desmatamento, esse plano é interrompido, porque não há vegetação para frear e possibilitar essa infiltração. Ele explica que ignorar isso nas regiões rurais causa enchentes e desperdiça a vocação de preservação permanente dessas áreas. "O fomento a esses projetos ajuda a firmar para os agricultores que eles possuem a opção de trabalhar em um sistema agroflorestal. Por isso que pensamos também na educação para além do sistema escolar, que mostra o intercâmbio de conhecimento entre esse público."

ASSISTA: Reportagem - Iniciativa Verde

Diálogos Envolverde

Para saber mais sobre a Iniciativa Verde e os outros temas comentados na live, acesse o YouTube ou Facebook da Agência Envolverde. O programa Diálogos Envolverde ocorre toda quinta-feira, às 11h, nesses canais com especialistas em sociedade e meio ambiente.

*Conteúdo multimidiático produzido por estudantes de Jornalismo Presencial da Universidade Metodista de São Paulo, sob a supervisão das professoras Alexandra Gonsalez, Eloiza de Oliveira Frederico, Filomena Salemme e Wesley Elago.

Ações do documento