Você está aqui: Página Inicial / Excesso de atividades físicas atrelado a exercícios intensos fazem parte da vida de CrossFiteiros

Excesso de atividades físicas atrelado a exercícios intensos fazem parte da vida de CrossFiteiros

por leticia.rodrigues1 última modificação 20/05/2019 14h11
Praticantes do CrossFit mesclam treinos pesados que podem sobrecarregar organismo

Publicado em 26/09/2018 15h33

Última atualização em 20/05/2019 14h11

Excesso de atividades físicas atrelado a exercícios intensos fazem parte da vida de CrossFiteiros
Proposta dessa prática esportiva é melhorar o condicionamento físico juntamente com treinos de alta intensidade - Foto: Marcelo Hirata/RRO

LETÍCIA MARIA
Da Redação*

Fenômeno no mundo esportivo, o CrossFit nada mais é que um sistema de treinamento funcional de alta intensidade que mistura modalidades (como levantamento de peso olímpico, exercícios cardio-respiratórios, exercícios funcionais e ginástica) para melhorar o condicionamento físico. Originária dos Estados Unidos, essa prática já soma mais de 1250 ginásios afiliados no Brasil e, em São Bernardo, são dez unidades, uma delas no Rudge Ramos.

Quem aderiu a esse estilo de vida é conhecido como ‘CrossFiteiro’. Saúde? Exagero? Vício? De acordo com o fisiologista Adilson Santos, o excesso adotado pelos praticantes é chamado de overtraining, ou seja, uma sobrecarga dos treinos sem espaço para descanso. “Isso gera prejuízos e danos à saúde, como a diminuição da qualidade do sono, da perda de força e resistência, além de alterar o quadro de humor (levando ao quadro de depressão e irritabilidade), queda do sistema imunológico e o aumento da frequência cardíaca em repouso”.

Casos mais comuns de adeptos ao CrossFit são de pessoas que seguem rotinas tão intensas quanto os próprios treinos. O estudante de educação física Felipe Majone, 24, resolveu mudar os hábitos há um ano: “Eu pratico seis vezes por semana e não me vejo sem. Comecei por necessidade, até que fui aprendendo e hoje virou uma obsessão”. Quando questionam o estudante, a resposta imediata é o amor ao esporte. “Eu só pensava naquilo. Hoje faço para que cada dia eu consiga dar o máximo de mim e vencer distâncias”, conta.

                                             

A estudante de direito Fernanda Galdino, 21, treina CrossFit pelo menos cinco vezes por semana e pratica há dois anos e meio. Para ela, ir além do limite todos os dias, superando pesos e cargas, é excepcional. “Não me vejo sem porque é viciante. Todo mundo que faz isso fala a mesma coisa: você ama ou odeia. É a melhor parte do meu dia e eu amo o que faço”.

Leia Mais: Moradores do Rudge Ramos se reúnem para se exercitar e recolher lixo

A busca pelo corpo perfeito é o que tem levado os praticantes à compulsão em querer treinar cada vez mais, segundo o fisiologista. “O que as pessoas têm que se atentar é que a saúde deve ser o foco principal na prática da atividade física. A estética é o segundo plano, mas, infelizmente, as pessoas não enxergam isso”, explica.

Apesar disso, ele alerta sobre a importância de estar sempre orientado por um profissional de educação física ou um professor. Assim, junto com quem treina, é possível determinar a intensidade adequada. Lembrando que a intensidade não pertence exclusivamente ao CrossFit, e que varia para cada nível de resistência e do objetivo da pessoa na hora do treino.


Ouça na íntegra no programa "Universidade No Ar":

 *Esta reportagem foi produzida por estagiários da Redação Multimídia da Universidade Metodista de São Paulo

Ações do documento