Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2017 / Universidade Federal de Minas Gerais abre inscrições para interessados em trabalhar como mediador de museu

Universidade Federal de Minas Gerais abre inscrições para interessados em trabalhar como mediador de museu

por iago.carneiro última modificação 13/06/2017 18h06
Instituição busca voluntários para o museu sobre rodas que chega em São Bernardo no mês de agosto

Publicado em 13/06/2017 17h55

Última atualização em 13/06/2017 18h06

Universidade Federal de Minas Gerais abre inscrições para interessados em trabalhar como mediador de museu
O Museu Ponto espera visitas de aproximadamente 1200 alunos por dia; público espontâneo também é aguardado - Foto: Divulgação/ Museu Ponto

BARBARA CAETANO
IAGO MARTINS
Da Redação*

 

O Museu Itinerante Ponto, criado em 2012 pela Universidade Federal de Minas Gerais, chega ao ABC no dia 15 de agosto. O espaço tem como objetivo trazer ciência e tecnologia para munícipes de São Bernardo.

Os moradores da região que se interessarem pelo assunto poderão fazer um curso de mediador, que serve para guiar o público no museu durante os dias que estiver na cidade. Para participar do projeto, o interessado precisa ser matriculado em qualquer curso de graduação ou pós-graduação e ter acesso à internet. O curso tem duração de 15 dias, com cinco módulos e é realizado online, as inscrições vão até dia 15 de junho.

Os módulos abordam temas sobre os experimentos que ficarão expostos no museu tanto na área externa quanto na área interna, como explica a bióloga e coordenadora pedagógica do Museu Priscila Barbosa Peixoto. “A área externa é composta com três setores chamados de ‘seres vivos’ que fala sobre temas de biologia, desafios como matemática e energia que envolve a física.”

As vantagens em realizar o curso vão além de adquirir o certificado. “A pessoa poderá explicar todos os experimentos, terá contato com o museu itinerante e suas características.”, afirmou Priscila.  

As aulas vão de 19 de junho à 07 de julho e, para receber o certificado, o aluno deve finalizar todos módulos.  Apesar de ter como principal objetivo formar pessoas aptas para apresentar todas as salas do museu, a coordenadora pedagógica garante que o espaço é para todos que se interessam pelo assunto. “Para pessoa que concluir o curso não terá a  obrigatoriedade em ser atuar no museu. É um trabalho voluntário, a pessoa só participará se gostar daquilo que foi aprendido”, comenta a coordenadora pedagógica.

 Museu Itinerante

O principal interesse do museu é mostrar que a ciência pode ser lúdica e divertida. A idealizadora, que atualmente dirige o projeto, professora da UFMG Tânia Margarida Costa, criou o espaço para manter a ciência próxima do público.

Além do museu servir para divulgar o que é feito dentro da Universidade Federal Minas Gerais, o projeto tem como objetivo levar informações para outros locais para que mais pessoas possam ter acesso.

As pesquisas acadêmicas, feitas dentro da universidade, são os temas das salas disponíveis no museu. “Fizemos um trabalho junto com o pessoal da medicina molecular, e baseado na pesquisas deles criamos uma sala que representa o ambiente uterino.”, explica Priscila Barbosa, que está otimista com a vinda do museu sobre rodas para o ABC.

“Como são agendadas as visitas escolares, conseguimos  ter uma noção de quantas pessoas vão visitar. Serão cerca de 1200 alunos por dia, fora o público espontâneo”, explica a coordenadora pedagógica.

E para quem tiver curiosidade em conhecer o Museu Itinerante, o ônibus responsável por carregar as salas ficará no estacionamento do Ginásio Poliesportivo, em São Bernardo. O horário para visitação tem início às 8h à 12h e 13h à 17h. O evento é gratuito e aberto a todos os interessados.

*Esta reportagem foi produzida por estagiários da Redação Multimídia da Universidade Metodista de São Paulo 

 

Ações do documento