Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Cidades / 2016 / 03 / Parque Imigrantes fica sem banda larga

Parque Imigrantes fica sem banda larga

por larissa.pereira — última modificação 07/03/2016 11h28
Moradores afirmam não conseguirem contratar o serviço de internet fixa no bairro

Publicado em 01/03/2016 17h15

Última atualização em 07/03/2016 11h28

Parque Imigrantes fica sem banda larga
Serviço está sujeito à disponibilidade técnica no local - Foto: Reprodução/Google Mapas

LARISSA PEREIRA
Da Redação*

No bairro Parque Imigrantes, próximo a represa Billings, em São Bernardo, os moradores afirmam não conseguirem contratar o serviço de banda larga, sendo obrigados a dependerem apenas da cobertura 3G e 4G (tecnologias que permitem a transmissão de dados por meio de redes móveis para celulares) oferecida pelas operadoras de telefonia.

Segundo o meio-oficial eletricista, Rodrigo Zomer Almeida, que mora no bairro há 14 anos, a única empresa que atende a região é a Telefônica Vivo. Ao solicitar o serviço de banda larga, um pacote composto por telefone e internet é oferecido. “No dia, os técnicos só colocam a linha de telefone. E depois, quando ligamos para reclamar, os atendentes afirmam que a operadora já ultrapassou o número de instalações possíveis”, contou.

A moradora Steffani Fernandes também passa pela mesma situação. Ela falou que quando precisa usar a internet, vai para uma lan house, que fica em outro bairro, ou ainda usa a internet do celular. “Se tem para um tem que ter para todos. Acho que outras empresas também deveriam atender o bairro”, disse.

Procurada pela reportagem do RROnline, a assessoria da Telefônica Vivo informou, por meio de nota, que a contratação e instalação do serviço “Vivo Internet Fixa” está sujeita à disponibilidade técnica no local. Porém, não informou se há previsão para que esse problema seja solucionado.

A reportagem também entrou em contato com a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) que, em nota, informou que o serviço de banda larga fixa opera em regime privado. Desta forma, as localidades de prestação são definidas pelas operadoras em regime de mercado. Uma vez operando em determinada localidade, a prestadora deve ofertar SCM (Serviço de Comunicação Multimídia) de acordo com a regulamentação vigente.

A nota informa ainda que o artigo 38 da Resolução Anatel nº 614/2013 estabelece que “o serviço deve ser prestado em condições não discriminatórias a todos os assinantes localizados na área de prestação”. No entanto, a agência não deixou claro se o consumidor pode exigir que a empresa atenda a área.

*Esta reportagem foi produzida por estagiários da Redação Multimídia do curso de Jornalismo da Universidade Metodista de São Paulo

Ações do documento

registrado em: ,