Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Cidades / 2016 / 03 / Projeto “Escritores da cidade” oferece espaço para quem gosta de escrever

Projeto “Escritores da cidade” oferece espaço para quem gosta de escrever

por adilson.junior última modificação 22/03/2016 16h13
Encontros são realizados mensalmente em bibliotecas de São Bernardo

Publicado em 16/03/2016 18h40

Última atualização em 22/03/2016 16h13

Projeto “Escritores da cidade” oferece espaço para quem gosta de escrever
Encontros ocorrem todos os meses em espaços públicos da cidade - Foto: Maristela Caretta/RRO

ADILSON JUNIOR
ALLAF BARROS
Da Redação*

Espaços públicos de São Bernardo recebem mensalmente o projeto "Escritores da Cidade". Criado em 2015 pela prefeitura, o objetivo é reunir talentos, promover debates, desenvolver concursos literários e outras atividades que visam valorizar a literatura da região.

Um dos coordenadores do projeto, Alexandre Nogueira, 40, explicou o funcionamento do projeto. “A ideia é garantir o direito às pessoas da cidade que têm vontade de escrever textos para que elas possam expor seus trabalhos”, disse.

O coordenador falou que muitos escritores do projeto não têm oportunidade de mostrar suas atividades. “Muita gente comum escreve poesias, textos, e deixam na gaveta. Nossa iniciativa faz com que estes trabalhos sejam mostrados e valorizados”, declarou.

O endereço, do local em que o evento ocorrerá, é divulgado por meio do Guia da Cidade de São Bernardo. Nogueira ressaltou que o projeto é para todas as idades. “A iniciativa é intergeracional, temos jovens de 15, 16 anos, adultos e idosos. Este encontro de várias gerações mostra o poder da escrita”, falou.

Para Maria Celma da Silva, que frequenta as reuniões, o projeto é uma forma de incentivar outras expressões culturais. “Nós ainda vemos a cultura muito como entretenimento, mas ela dá espaço para tudo. Eu trabalho na área da saúde e a minha aproximação com o projeto foi neste sentido. Você pode trabalhar a leitura, a escrita com um grupo de pessoas falando de literatura em uma atividade de saúde, por exemplo”, disse.

Maria Celma avalia que a participação de pessoas com vários interesses é bom. “Vejo uma chance de aprender mais devido à diversidade de assuntos que vamos conversar nos encontros. Os gostos são bem diversificados, uns gostam de poesias, outros literatura infantil. É uma forma de conhecer a realidade enquanto cidadã”, finalizou.

*Esta reportagem foi produzida por estagiários da Redação Multimídia da Universidade Metodista de São Paulo

Ações do documento