Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Cidades / 2016 / Árvores em lugares inadequados podem danificar calçadas

Árvores em lugares inadequados podem danificar calçadas

por amanda.florindo última modificação 02/02/2017 09h20
Prefeitura recomenda que moradores procurem a Rede Fácil antes de plantar

Publicado em 05/12/2016 11h24

Última atualização em 02/02/2017 09h20

Árvores em lugares inadequados podem danificar calçadas
Calçada danificada pela raiz de árvore na rua Dr. Arthur Rudge Ramos, no Rudge. Fotos: Amanda Leonelli Florindo/RRO

AMANDA LEONELLI FLORINDO
THAÍS SOUZA
Da Redação*

Por uma questão de qualidade de vida, a OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda que cada cidade tenha no mínimo 12 m² de árvore por munícipe, e o ideal é de 36 m² em áreas urbanas. Essa contagem equivale a três árvores por pessoa. Mas não basta querer plantar. É preciso conhecer o local e os tipos de árvore que são adequados para o plantio em áreas urbanas, porém que não danifique ruas e calçadas.

Um dos problemas ocasionados pelo plantio errado de árvores é que as raízes, com o passar do tempo, podem crescer e quebrar as calçadas. Em São Bernardo, isso é comum. A reportagem passou por quatro vias da cidade, nos dias 22 e 24 de novembro, e constatou que raízes de árvores que cresceram em espaços apertados racharam as calçadas. As vias visitadas foram Dr. Artur Rudge Ramos; Fernão de Magalhães e avenida Dr. Carlos de Campos, no Rudge, e a rua Joaquim Nabuco, no centro.  

Quem sofre com as calçadas atingidas pelo plantio errado são os próprios cidadãos. A dona de casa Filomena Mozel estava andando na Joaquim Nabuco, em direção ao Hospital Central, no centro de São Bernardo, quando quase tropeçou em uma calçada quebrada pela raiz de uma árvore. “Toda vez que passo por aqui tenho que estar muito atenta porque em um segundo, sem tomar cuidado, a gente tropeça”, disse.

A parte do hospital que ficava na rua Joaquim Nabuco foi desativada. As árvores que enfeitavam a unidade hospitalar foram cortadas, mas parte do tronco e as raízes ainda estão lá.

Leia Mais: Falta de poda de árvore prejudica bairros de São Bernardo

Na mesma calçada onde ficava a entrada do hospital, há um ponto de táxi onde a raiz de uma árvore danifica o asfalto. “Consegui uma vaga neste ponto, mas é complicado ficar aqui porque pode prejudicar a suspensão do carro”, disse o taxista Antônio Holanda.   

Além desses pontos, a reportagem também encontrou calçadas danificadas pelas raízes de árvores na rua do Sacramento, próximo à altura do número 20.

A reportagem entrou em contato com a Prefeitura de São Bernardo por meio de assessoria, mas não obteve o retorno. Por isso contatou por telefone no dia 30 de novembro a Secretaria de Gestão Ambiental como um cidadão comum interessado no assunto.

Um funcionário da secretaria respondeu que o morador deve ir até a Rede Fácil, central de atendimento ao cidadão, que fica prédio da prefeitura, no Paço Municipal. Lá, segundo ele, é feito o encaminhamento para que um engenheiro ambiental possa indicar como plantar e quais espécies de árvores que podem ser plantadas no espaço desejado. As espécies indicadas pela prefeitura para plantio são as nativas, como o Ypê, Jacarandá e Jerivá. 

Calçada danificada na Avenida Dr. Carlos de Campos, no Rudge.
Calçada danificada na Avenida Dr. Carlos de Campos, no Rudge.

Ainda segundo esse mesmo agente que atendeu a reportagem por telefone, os moradores devem evitar o plantio de mudas na cidade para que não haja problemas nas calçadas e rede de esgoto. Além disso, ele informou que as podas de árvores que estão atingindo a fiação elétrica devem ser feitas pela companhia de eletricidade AES Eletropaulo.

Quanto às árvores que estão dentro de propriedades particulares, o dono imóvel deve pedir autorização à prefeitura para realizar a poda. Então o proprietário pode fazer a poda por conta própria ou contratar alguma empresa para realizar o serviço.

Compensação ambiental

Na via Anchieta, entre os km 14 e 18, é possível ver mudas de árvores ainda pequenas plantadas no canteiro central gramado que separa a pista principal da marginal da rodovia. A reportagem passou pela rodovia e viu que foram plantadas 50 mudas. Entretanto, só 30 permanecem ao longo desse trecho. Segundo um atendente da Secretaria de Gestão Ambiental de São Bernardo, elas foram plantadas entre 2013 e 2014.

Essas mudas também são todas nativas da região. O plantio faz parte da compensação ambiental da cidade (que visa reduzir os impactos causados na natureza pela ação do homem) de duas empresas.  

A reportagem tentou entrar em contato com a assessoria da prefeitura por e-mail no dia 10 de novembro. Além disso, ligou nos telefones 4348-4327/4328/1044/1000 nos dias 14, 17, 22, 23, 24 e 28 de novembro, mas a gravação telefônica dizia que os números discados não existiam.

*Esta reportagem foi produzida por estagiários da Redação Multimídia da Universidade Metodista de São Paulo

Ações do documento