Você está aqui: RROnline Notícias Economia Pasta 2 Entenda como funciona o Imposto de Renda

Entenda como funciona o Imposto de Renda

por economia — última modificação 14/03/2009 16:51
Saiba como declarar o Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (IRPF) e como é feito o cálculo do imposto.

Publicado em 14/03/2009 16:51
Última atualização às 16:51

Contraste | A A+ A++

ISMAEL PINI

O Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (IRPF) é um tributo cobrado pela Receita, órgão do Governo Federal responsável pela arrecadação de recursos (sobretudo os provenientes de impostos). Neste ano, os brasileiros que tiveram renda mensal (através do salário, aposentadoria, pensão, ou aluguel) acima de R$1.372,81, pouco mais de três salários mínimos, ou R$16.473,72 anuais, terão que fazer a Declaração do IR.
     
Bacharel em Ciências Contábeis pelo Instituto de Ensino Superior de Santo André (IESA), Marco Antônio Leonaldo, 49 anos, explica: “A Declaração deve ser feita pelo programa fornecido pela Receita e entregue, ou pela internet, ou por disquete nas agências do Banco do Brasil. Já o formulário deverá ser entregue nas agências do correio com o custo de quatro reais”.

Mesmo após a implantação do sistema digital, fazer a Declaração do IRPF pode gerar muitas dúvidas. Para Leonaldo, as principais dificuldades estão não só no manuseio dos documentos como também na falta de contato de alguns com o computador. O que, por conseqüência, contribui para que ainda haja o uso do formulário de papel. “Muitas pessoas se utilizam do formulário de papel, ou por não terem acesso a informática, ou por conservadorismo. Acredito que a declaração feita pelo programa da Receita Federal é mais fácil, rápida e segura. Enquanto que a elaborada por papel além de não ser segura, tem limitações impostas pela Receita para sua utilização. E, além disso, também tem a questão do custo [a taxa de quatro reais]”.   

Até ontem pela manhã (13 de março), onze dias após o início do prazo, segundo o site da Receita, 2,18 milhões das Declarações já foram entregues. A expectativa é que, até o dia 31 de abril (último dia) a meia-noite, este número atinja o patamar de 25 milhões, 800 mil a mais que no ano passado.

Uma das vantagens em entregar o formulário do IRPF logo, está no fato de receber a restituição antes. Leonaldo dá dicas de como proceder, para não ter problemas na hora da Declaração. Ele fala quais são os principais erros que podem fazer uma pessoa cair na famosa “malha fina”. “Ao longo do ano [o contribuinte deve] separar os documentos que serão utilizados para o preenchimento da Declaração, e ter atenção na hora da elaboração. As vezes, com o intuito de receber a restituição rapidamente, o contribuinte comete erros primários, como não informar rendimentos cujos informes não recebeu, confundir códigos de despesas, digitar valor errado de recibos, ou até informar despesas médicas que não existiram”, conclui.

Download dos programas IRPF 2009 e Receitanet 

Confira a tabela para o cálculo do IR

Ações do documento
registrado em: