Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Entretenimento / Pasta 2 / Família de Santo André trabalha unida pelos livros

Família de Santo André trabalha unida pelos livros

por cultura — última modificação 14/03/2008 21h19
Em Santo André, pai, mãe e filho fizeram da leitura o ganha pão da família e uma maneira de incentivar a cultura

Publicado em 14/03/2008 21h19

Última atualização em 14/03/2008 21h19

Família de Santo André trabalha unida pelos livros
Proprietário costuma ler os livros do sebo para indicar aos clientes - Foto: Mariana Alonso

MARIANA ALONSO

Livros a perder de vista. No sebo do Marcão, no centro de Santo André, o que não faltam são opções para quem gosta e precisa da leitura. São cerca de 30 mil livros, separados em prateleiras por seção – que vai desde ciência à religião.

E tudo começou em agosto de 2002, com a ousadia de Marcos David Queiroz Moreira Pereira, de 24 anos. "Montei o sebo pelo hábito da leitura. Desde criança leio livros. Outro motivo foi para gerar e distribuir o conhecimento às pessoas", comenta Marcos, que no início contou com a ajuda de amigos e parentes para conseguir os primeiros livros.

Os pais de Marcos também se renderam ao mundo da leitura e do sebo e logo no ano seguinte da inauguração da loja, já estavam trabalhando com o filho. "Deixei o estresse do comércio convencional para ficar aqui no sebo. Aqui, a gente tem mais qualidade de vida", conta José Pereira Júnior, conhecido como Pereira, pai de Marcos.

A mãe, Abigail de Queiroz Moreira Pereira, defende que o vendedor de livro tem uma função que vai além de simplesmente vender. "Às vezes chega alguém pedindo para indicarmos livros de romance. Mas para isso, temos que ter sensibilidade para saber qual o tipo de leitura aquela pessoa vai se interessar. Somos orientadores", diz.

E engana-se quem imagina que para montar um sebo é preciso só de livros velhos. Os novos também têm lugar nas prateleiras. "No Natal muita gente ganha livro, às vezes até repetido. Por isso algumas pessoas vêm vender livros novinhos", esclarece. "Temos alguns deste ano, inclusive".

E até os garis contribuem para a variedade de títulos do sebo. Abigail conta que muita gente, ainda nos dias atuais, tem o costume de jogar os livros no lixo ao invés de doá-los ou mandar para a reciclagem. "Os garis encontram na lixeira e aparecem aqui para vender", diz.
 
Não são só livros que o sebo do Marcão possui. Há também espaço para os CDs, revistas e discos. "Tem uns ratos de sebo que buscam informação. Ficam horas olhando as prateleiras, folheando livros e revistas. Os discos são mais para os colecionadores", diz Abigail.

  • Serviço
    Sebo do Marcão. Rua Prefeito Justino Paixão, 248, centro de Santo André. Telefone: 4432-4001. Site: www.sebodomarcao.com.br. Aberto de segunda a sábado.

Ações do documento

registrado em: