Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Esportes / Melhores atletas paralímpicos brasileiros são do ABC

Melhores atletas paralímpicos brasileiros são do ABC

por erika.costa última modificação 10/05/2016 09h36
Silvania da Costa vai representar o Brasil no salto em distância

Publicado em 26/04/2016 09h53

Última atualização em 10/05/2016 09h36

Melhores atletas paralímpicos brasileiros são do ABC
Silvania comemora o ouro no Parapan-Americano em 2015 - Foto: Daniel Zappe/MPIX/CPB

JULIA CENTINI
Especial para o RROnline*

Os Jogos Paralímpicos Rio-2016 começam em setembro e contam com 23 modalidades de esporte. O ABC é a casa de algumas das maiores promessas da competição, como a saltadora Silvania da Costa, vencedora do prêmio de Melhor Atleta Paralímpica de 2015. Natural de Três Lagoas, Minas Gerais, ela se mudou para São Caetano a convite do CPB (Comitê Paralímpico Brasileiro) e agora treina no Clube de Atletismo BM&FBovespa.

A paratleta se destacou em 2015 conquistando o ouro no Mundial de Atletismo em Doha, no Catar, e nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto, no Canadá. No mesmo ano, foi eleita pelo público, com 64% dos votos, a Melhor Atleta Paralímpica brasileira. Silvania começou no esporte com 11 anos, mas apenas aos 18 iniciou-se profissionalmente. Sua primeira prova foi em Campo Grande, na Corrida Verde, onde percebeu que o esporte poderia ser profissão.

Silvania hoje segue um ritmo intenso de treinos, que vai de segunda a sábado. “Não tem diferença no treino de um atleta paralímpico para um atleta convencional. Todos buscam ultrapassar o limite físico. É muito sofrido, porém é o que eu amo”, comenta. A atleta convive com a Doença de Stargardt desde a infância, que faz com que sua visão regrida aos poucos. Ela compete em salto em distância na categoria T11 de deficiência total para cegos e já estabeleceu sua meta para esse ano: três medalhas de ouro.

Além da saltadora, o morador de São Bernardo Luis Carlos Cardoso é bicampeão mundial nas disciplinas caiaque e canoa e disputa uma vaga nas Paralímpiadas com Fernando Fernandes. Em março, Luis Carlos venceu a Copa Brasil de Paracanoagem e está feliz com o resultado positivo. “Eu acredito demais em meu trabalho e do técnico Akos Angyal. Fico ainda mais otimista em relação ao Mundial, que será em maio, especialmente com a possibilidade de classificação para os Jogos Paralímpicos”, afirma o paracanoísta. Ele disputará o Mundial na Alemanha em maio e o evento será classificatório para os Jogos no Rio.

Luis era dançarino do cantor Frank Aguiar e contraiu esquistossomose, uma doença parasitária que acabou o deixando paraplégico. Encontrou na paracanoagem uma forma de reabilitação e, mais tarde, uma nova profissão. Hoje, treina na represa Billings, em São Bernado.

O atleta se destacou em 2015 levando medalha de ouro em canoa e em caiaque no Campeonato Brasileiro, no Sul-Americano e no Mundial de Canoagem em Milão, na Itália, onde conquistou o bicampeonato. Foi eleito pelo público como Melhor Atleta masculino do ano, com 48,14% dos votos.

Brasil nas Paralímpiadas

Em 2012, o país fechou as Paralímpiadas de Londres em sétimo lugar, com 43 medalhas, sendo 21 de ouro, 14 de prata e 8 de bronze. Um desempenho melhor do que nos Jogos de Pequim, onde terminou a competição em nono lugar. O Comitê Paralímpico Brasileiro espera alcançar a quinta posição esse ano.

Os Jogos acontecem entre 7 e 18 de setembro e os ingressos ainda estão a venda e podem ser adquiridos no site https://ingressos.rio2016.com. Para as competições, os preços variam entre R$10 e R$ 130.

*Esta reportagem foi produzida por alunos do Curso de Jornalismo da Universidade Metodista de São Paulo


Ações do documento