Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Política / 2012 / 11 / PT e PTB são as siglas que tiveram mais mandatos de prefeito no ABC desde 1988

PT e PTB são as siglas que tiveram mais mandatos de prefeito no ABC desde 1988

por aluno última modificação 03/12/2012 08h20
Petistas têm hegemonia por partido ter nascido na região; petebistas dominaram São Caetano

Publicado em 30/11/2012 11h45

Última atualização em 03/12/2012 08h20

PT e PTB são as siglas que tiveram mais mandatos de prefeito no ABC desde 1988
São Bernardo se tornará em 2013 a cidade com mais mandatos petistas após a reeleição de Luiz Marinho em 2012. Foto: Arthur Gandini


ARTHUR GANDINI
Especial para o RROnline*


O PT e o PTB são os partidos que tiveram mais mandatos de prefeito no ABC desde 1988, ano em que ocorreram as primeiras eleições municipais no período democrático pós-ditadura militar (1964-85). Dos 49 prefeitos eleitos no intervalo, os dois partidos levaram 29 pleitos.

O Partido dos Trabalhadores conquistou 19 mandatos de prefeito desde o começo do período analisado. Santo André e Diadema foram as cidades com mais prefeitos petistas, com cinco prefeituras da sigla cada uma. Em 2013, São Bernardo acumulará um pleito a mais com a reeleição de Luiz Marinho. Já do total dos 10 mandatos do PTB, seis foram em São Caetano. Logo atrás no ranking vem o PSDB (7), PSB (5), PMDB (4), PV (2) e o PP (2).

Para o professor de publicidade da Universidade Metodista de São Paulo e especialista em marketing político, Kleber Carrilho, o PT ter nascido na região, em 1980, explica a sua hegemonia no local. “A região fica muito petista na eleição de 1988, quando ganhou em São Bernardo o Maurício Soares, em Santo André, o Celso Daniel, e em Diadema, o José Augusto. Em São Paulo, também ganha a [Luiza] Erundina”, lembra o professor.

De acordo com Carrilho, o PTB não exerce uma hegemonia na região e tem o segundo maior número de mandatos devido a ter “dominado” São Caetano. O mérito, entretanto, é dos políticos do partido e não da sigla. “O [Luiz Olinto] Tortorello [eleito prefeito na cidade em 1988] era o maior nome político do ABCD que não era do PT. São Caetano virou o único lugar distante [politicamente] do PT. É uma cidade que dá valor às suas origens [italianas]. Tem uma tendência conservadora."

O professor lembra que o PTB atual foi refundado por Ivete Vargas, sobrinha-neta de Getúlio Vagas. Ela registrou o partido no cartório eleitoral antes de Leonel Brizola, antigo líder da sigla, após o Regime Militar permitir a existência de mais de dois partidos políticos. “O PTB ficou com uma cara estranha, sem identidade. A sua imagem ficou vinculada a Brizola".

Polarização - “A segunda força no ABC é a em volta do PSDB", afirma o professor, lembrando que o partido apoiou Paulo Pinheiro e Lauro Michels, que se elegeram prefeitos em São Caetano e Diadema, respectivamente.

“O PSDB é fraco no ABC, mas tem uma organização em volta dele, é o partido do governo do estado. Você tem a figura do [Geraldo] Alckmin (governador do estado) para apoiá-lo.”

Assista abaixo entrevista com Kleber Carrilho sobre como a polarização nacional PT-PSDB influencia a política da região.



Mudança no poder – O PT perdeu a dominação política de Diadema na eleição desse ano, que mantinha desde 1988. Só em 1997 não elegeu prefeito no município. Entretanto, o ganhador do pleito foi Gilson Menezes que havia acabado de sair do PT para ir para o PSB e ainda carregava a imagem do partido antigo. Para o especialista, nas eleições de 2012 ocorreu uma “onda da novidade” no ABC.

Ouça abaixo matéria sobre a importância da alternância de poder na Democracia na opinião de Maria do Socorro Braga, cientista política da Usp.



Políticos e eleirorado - Para Josemundo Dario Queiroz, presidente do PT em Diadema e vereador pela cidade, o PT em São Caetano tem dificuldade para se relacionar com o perfil conservador da população. “Tem tradicionalmente uma relação muito voltada para a classe trabalhadora, o pessoal mais periférico. A cidade vem se resguardando nos últimos anos de ser governada por um partido de esquerda.”

Já para José Dourado, presidente do PSDB de Diadema e colega de Queiroz na Câmara Municipal diademense, os tucanos tem dificuldade política na Região. “O ABC é o berço do PT, foi daqui que ele se projetou. Não só o PSDB, mas como todos os partidos sempre tiveram uma dificuldade.”

O prefeito de São Caetano e também presidente do PTB da cidade, José Auricchio Júnior, afirmou por meio de sua assessoria que não vê dificuldade na sigla consolidar sua imagem e reforça a importância dos seus políticos integrantes. “A força da sigla no município se deu justamente pelo seu quadro de lideranças”.

A eleitora de São Caetano e auxiliar de produção, Hiulda Soares de Lima, atribui a força do partido na cidade à imagem de Tortorello. “O povo gostava muito dele.”

Já o vendedor ambulante, Valter de Deus Oliveira, que vota em Santo André, afirma que a força do PT na cidade se origina do ex-presidente Lula, que mora em São Bernardo e é atuante na política da Região. “Ele influi muito aqui”.

Maria de Fátima, auxiliar de serviços gerais e eleitora de Diadema, lembra que existem muitas fábricas automotivas na região, como Volks e Mercedes, que estimularam o sindicalismo de onde se originou o PT. “É uma região de muitas fábricas”.

O estudante de administração e eleitor de São Bernardo, Rafael dos Santos Souza, vê identificação da população com as causas sociais, defendidas pelo PT. “A população acredita nas propostas dos políticos [relacionadas ao sindicalismo].”

Após as eleições desse ano, o PT passará para um total de 22 mandatos, o PSDB para sete, o PMDB para seis e o PV para três mandatos, a partir de 2013.

* Essa reportagem foi produzida pela Redação Multimídia da Faculdade de Comunicação da Universidade Metodista de São Paulo

Ações do documento

registrado em: