Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Política / 2017 / Cai número de pacientes encaminhados ao PS de São Bernardo por concessionárias

Cai número de pacientes encaminhados ao PS de São Bernardo por concessionárias

por erika.motoda última modificação 24/05/2017 08h17
Lei que cobra despesas médicas a administradoras de rodovias está em vigor há um mês

Publicado em 17/05/2017 08h05

Última atualização em 24/05/2017 08h17

Cai número de pacientes encaminhados ao PS de São Bernardo por concessionárias
Trecho da Anchieta em São Bernardo, rodovia administrada pela Ecovias - Foto: Guilherme Guilherme/RRO

ÉRIKA MOTODA
Da Redação*

Caiu para 11 o número de moradores acidentados de outras cidades enviados ao HPSC (Hospital e Pronto-Socorro Central) de São Bernardo em abril, um mês depois de entrar em vigor lei que prevê cobrança das concessionárias de rodovias por atendimento a acidentados. No mês de março, antes de a lei municipal nº 6.539/17 ser sancionada, foram registrados 20 casos.

A lei foi de autoria do Executivo e autoriza a cobrança de despesas médicas a concessionárias de estradas e rodovias que encaminharem pessoas de outros municípios à rede de saúde pública em São Bernardo. As empresas responsáveis pela administração das rodovias que cortam a cidade são a Ecovias (Anchieta-Imigrantes) e SPMar (Rodoanel).

Uma das justificativas da prefeitura para essa lei foi justamente a de que havia uma grande demanda de atendimento na rede municipal devido às ocorrências de trânsito levadas pelas concessionárias.

De acordo com a prefeitura, no total, o HPSC recebeu 29 pacientes em abril. Desses, 11 não eram moradores. Já em março deste ano, das 35 pessoas levadas ao pronto-socorro pelas concessionárias, 20 eram de outros municípios.

No ano passado, 63 não munícipes deram entrada no HSPC em abril, de um total de 89 casos tratados no pronto-socorro referente a ocorrências de trânsito. No entanto, em março de 2016, foram 16 casos de moradores de outras localidades contra 28 munícipes de São Bernardo.

Ecovias

Para saber se a queda encaminhamentos ao HPSC aconteceu por políticas internas das concessionárias, a reportagem entrou em contato com a SPMar e Ecovias. Mas, somente a Ecovias deu retorno até a publicação deste texto.

Em 2017, no período de 31 de março a 30 de abril, a Ecovias registrou 101 acidentes com uma morte na via Anchieta dentro dos limites de São Bernardo. Na Imigrantes, no mesmo período, foram contabilizados 44 acidentes e uma morte.

Segundo a concessionária, a orientação dada aos funcionários ainda é a de encaminhar os pacientes aos hospitais mais próximos à região da ocorrência, conforme o contrato feito com o governo estadual e regulamentado pela Artesp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo).

A Ecovias ainda disse que possui um Programa de Redução de Acidente, voltado para a educação no trânsito. E esse programa pode ter refletido na queda de acidentes encaminhados ao HPSC.

A SPMar encaminhou sua resposta no dia 23 de maio. Assim como a Ecovias, a concessionária responsável pelo Rodoanel disse que o procedimento da equipe médica é o de encaminhar as vítimas ao hospital de referência mais próximo, para que receba um pronto atendimento.

Leia mais:
Prefeitura de São Bernardo quer reembolso do SUS por atendimentos

*Esta reportagem foi produzida por estagiários da Redação Multimídia da Universidade Metodista de São Paulo

Ações do documento