Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Política / 2017 / Moradores da região pós-balsa protestam contra bloqueio parcial do acesso na Imigrantes

Moradores da região pós-balsa protestam contra bloqueio parcial do acesso na Imigrantes

por alvaro.casado última modificação 12/09/2017 11h34
Centenas de pessoas ocuparam a Câmara Municipal de São Bernardo para reivindicar uma série de melhorias nos bairros da Região; sessão também aprovou abertura de crédito no valor de R$20,7 milhões para pagamento de dívidas

Publicado em 06/09/2017 15h43

Última atualização em 12/09/2017 11h34

Moradores da região pós-balsa protestam contra bloqueio parcial do acesso na Imigrantes
Sessão da Câmara esteve lotada com a presença de moradores da região pós-balsa - Foto: Luis Henrique Leite/RRO

LUIS HENRIQUE LEITE
Da Redação*

Cerca de 500 moradores da região conhecida como pós-balsa foram até a Câmara dos Vereadores de São Bernardo nessa quarta (6) para protestar por melhorias nos 10 bairros localizados do outro lado da represa Billings. A principal reclamação dos moradores está no bloqueio parcial na altura do quilômetro 34 da rodovia dos Imigrantes que dá acesso à região, barrando o acesso de veículos maiores como caminhões.

A área reservada para munícipes no plenário esteve lotada durante toda a sessão, com cerca de 300 pessoas, que se manifestaram durante toda a sessão com palavras de ordem. Os outros 200 moradores que se deslocaram até a Câmara foram barrados pela guarda municipal na entrada do prédio, para evitar que o local excedesse o limite máximo de público.

Leia mais: Região Pós-Balsa é tema de série de reportagens de rádio 

O líder do governo vereador Ramon Ramos (PDT) afirmou que o controle de veículos no acesso ao pós-balsa pela rodovia Imigrantes foi algo pedido pela promotoria no dia 30 de agosto à prefeitura da cidade. O vereador também se reuniu com cerca de 10 moradores e se comprometeu a encaminhar ao prefeito Orlando Morando (PSDB) as principais queixas dos moradores da região.

O parlamentar da oposição Antonio Carlos (PT) considerou legítima a manifestação: “É um direito que eles têm. No governo do prefeito Luiz Marinho (PT) fizemos várias reformas e melhorias na região e elas tinham que continuar”, ressaltou o petista ao culpar a administração atual pelo problema.

Abertura de Crédito

O legislativo municipal autorizou na sessão desta quarta (6), por unanimidade, a abertura de crédito adicional especial no valor de 20 milhões de reais, com o objetivo de pagar indenizações e restituições, assim como pagamento de sentenças judiciais e dívida pública.

Para cobrir a abertura de crédito, o prefeito Orlando Morando (PSDB), autor do projeto de lei, utilizará recursos da operação urbana consorciada, que é basicamente o programa da prefeitura dedicado a obras urbanas estruturais, melhorias sociais e valorização ambiental.

O projeto de lei teve respaldo até da oposição, que considerou o remanejamento de finanças importante para pagar dívidas com os servidores da prefeitura.

Na mesma sessão, também foi aprovada outra abertura de crédito, agora no valor de R$700 mil para cobrir dívidas no IMASF, o plano de saúde oferecido pela prefeitura para seus funcionários.

*Esta reportagem foi produzida por estagiários da Redação Multimídia da Universidade Metodista de São Paulo

Ações do documento