Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Prática feminina de parkour está mais ampla e menos preconceituosa

Prática feminina de parkour está mais ampla e menos preconceituosa

por barbara.nascimento última modificação 19/05/2017 07h33
Grupos de facebook auxiliam na adaptação do esporte para o público

Publicado em 18/05/2017 18h28

Última atualização em 19/05/2017 07h33

Da Redação*

Além de ser uma modalidade esportiva praticada nas ruas, o parkour também é uma filosofia de vida, como comenta a bailarina e praticante do esporte Vanessa Santiago. “No parkour a gente ultrapassa os obstáculos, e da mesma forma a gente ultrapassa os obstáculos na vida”

Mesmo exigindo muito preparo físico, as mulheres estão quebrando estereótipos e dificuldades. A instrutora de parkour Karonlina Oliveira comentou sobre a  “hoje como o parkour feminino está mais ampliado a questão de discriminação está bem  menor”.  

As redes sociais são aliadas na busca de informações sobre a práticas, existem várias páginas no facebook, onde os praticantes do parkour costumam marcar treinos, estas páginas totalizam mais de 14 mil membros. A página do facebook parkour feminino Brasil tem mais de 2 mil membros.”

Ruas e parques são os locais mais comuns para os treinos, e são conhecidos como picos. No ABC os parques Celso Daniel e Central em Santo André, o Shopping Best em São Bernardo e a pista de skate de Mauá, são os picos mais frequentes.

 

Repórter: Danielly Pereira
Imagens: Gabriela Araújo
Edição: Jennefer Andrade 

*Esta reportagem foi produzida por alunos do curso de Jornalismo da Universidade Metodista de São Paulo

Ações do documento

registrado em: