Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Saúde / 2017 / Doulas encorajam mães na hora do parto

Doulas encorajam mães na hora do parto

por erika.motoda última modificação 31/08/2017 11h38
Método torna gestante mais preparada e segura

Publicado em 31/08/2017 09h09

Última atualização em 31/08/2017 11h38

Doulas encorajam mães na hora do parto
Larissa Leal, além de professora de Yoga, é a doula de Carolina Carvalho, então grávida de oito meses - Foto: Luciana Serpeloni/RRJ

LUCIANA SERPELONI
Especial para o Rudge Ramos Jornal*

“MULHER que serve.” Essa é a definição de origem grega para o nome “doula”, profissional que dá suporte físico e emocional para a parturiente, antes, durante e após o nascimento do bebê.

É a doula que durante o trabalho de parto humanizado, auxilia a paciente a encontrar as melhores posições durante as contrações, faz massagens para aliviar a dor, acalma e ajuda o acompanhante a participar ativamente na “hora H”.

Carolina Carvalho Bertoletto, 35, moradora de São Caetano, é odontopediatra e professora universitária. No dia em que conversou com a reportagem, estava na 39ª semana de gestação de sua primeira filha.

Ela disse que ter uma doula para acompanhar sua gestação foi fundamental, pois deu segurança, calma e amparo. “Minha doula tem experiência, ela vai cuidar de mim. Sinto-me preparada”, disse Carolina.

Leia mais:
Licença-paternidade passa a valer por 20 dias
Parto humanizado prioriza conforto e bem-estar da mulher

Confiança

Sempre tendo em mente passar pelo parto normal, a professora procurou um obstetra no hospital. Porém, percebendo que esse parto não seria humanizado, foi o momento em que ela começou a conversar com a Larissa, sua professora de yoga, e se informar melhor sobre o assunto.
A professora Larissa Leal Gonçales, 40, também é doula. Trabalha no Espaço Santosha, em São Caetano. A odontopediatra se identificou com a profissional. “Tenho confiança no trabalho dela”.

A grávida e o marido, Luiz Augusto Lorenson, 39, analista de sistemas, participam da roda para gestantes e casais no espaço, onde são esclarecidas as dúvidas. Nas sessões, realizadas gratuitamente a cada 15 dias, as segundas-feiras, há relatos de outros pais no grupo de apoio ao parto humanizado.

Larissa trabalha com gestantes há oito anos, dando aulas de yoga para futuras mães. Ela auxilia como doula há quatro anos, desde o pré-natal até o pós parto. Seu trabalho vai além de amparar e preparar psicologicamente a mulher: disse que “empodera” o marido.

“O pai tem um papel tão importante quanto imagina. Ele é o representante legal da mulher e tem a voz ativa para requerer qualquer intervenção antes, durante ou pós parto. Ele tem esse poder, sim”, disse Larissa.

Além da doula, existem obstetrizes, ginecologistas obstetras, acupunturistas e nutricionistas que fazem parte da equipe de parto humanizado no Espaço Santosha.

Em tempo: no dia 04 de maio de 2017, com a ajuda da doula, nasceu Maria Clara na maternidade do Hospital São Luiz, em São Paulo. 

*Esta reportagem foi produzida por alunos do curso de Jornalismo da Universidade Metodista de São Paulo

Ações do documento