Você está aqui: RROnline Notícias Saúde Pasta 4 Acidentes com soda cáustica matam 6 mil por ano

Acidentes com soda cáustica matam 6 mil por ano

Pesquisa realizada por especialista da FMABC aponta que a facilidade de acesso ao produto é o principal fator de risco.

Publicado em 26/03/2008 13:57
Última atualização às 13:57

Contraste | A A+ A++

BRUNO GALHARDI

140 mil internações anuais na rede pública de saúde do país, das quais cerca de 6 mil resultam em morte da vítima. É este o saldo oficial dos acidentes domésticos causados pela soda cáustica, substância corrosiva utilizada em diversos produtos, como água-sanitária, amaciantes de roupas e produtos para desentupir encanamentos.

A maior parte dos envolvidos nesses acidentes é composta por crianças, que costumam ingerir o produto, o que leva a danos permanentes no sistema digestivo. “A falta de supervisão e a negligência dos responsáveis, que guardam essa substância em locais acessíveis às crianças, além do armazenamento em embalagens inadequadas e atrativas são alguma das causas desses acidentes”, explica a pediatra Luciana Trindade Godinho, que realizou um levantamento com 13 crianças internadas no Hospital Estadual Mário Covas, em Santo André, para descobrir as causas e criar métodos de prevenção para acidentes com soda cáustica.

Segundo o estudo, em todos os casos o produto estava em locais de fácil acesso (no chão, ou em lugares baixos), e apenas 30% dos responsáveis havia adquirido o produto em mercado formal. Desses, mais da metade mantinha a soda cáustica em garrafas plásticas de refrigerante. Segundo a especialista, este também é um fator que aumenta o risco de acidentes com crianças. “Apelos de cor e cheiro, como uma garrafa plástica colorida, acrescidos da curiosidade própria da criança, potencializam o aumento dos acidentes", explica a médica da Faculdade de Medicina do ABC (FMABC). Ela ainda alerta para o risco de adquirir esses produtos de limpeza no mercado informal, que normalmente utiliza embalagens inadequadas para o armazenamento.

Com os dados da pesquisa, aliado ao levantamento de custos no tratamento destas crianças, o Hospital Mário Covas e FMABC planejam mobilizar uma campanha de conscientização sobre o uso de soda cáustica envolvendo as prefeituras do Grande ABC e o governo do Estado.

Ações do documento
registrado em: