Problemas na tireóide podem trazer complicações à gravidez

Durante o período de gestação, aumento no volume da glândula dificulta diagnósticos; feto é completamente dependente dos hormônios da mãe até a 12ª semana

Publicado em 28/07/2010 09:03
Última atualização às 09:03

por DOUGLAS CARVALHO BRITO

Mulheres que estiverem em período de gestação, além dos costumeiros cuidados que precisam ter, devem redobrar as atenções com a tireóide. Isso porque os bebês são extremamente dependentes dos hormônios desta glândula da mãe até pelo menos a 12ª de gestação - ou seja, até o começo do quarto mês. Mulheres que já possuem alguma irregularidade precisam se prevenir ainda mais, visto que muitas vezes a gravidez só é notava em meados do segundo mês.

Segundo a endocrinologista Ellen Simone Paiva, "Quando a mulher não produz esses hormônios em quantidade suficiente, nem faz a reposição hormonal adequada à sua deficiência, inicialmente tem dificuldade de engravidar, e quando engravida, tem risco de não conseguir levar essa gestação a termo". A doutora diz também que o hipotireoidismo nas mães pode acarretar em "problemas no desenvolvimento neurológico em graus variáveis". As áreas afetadas nas crianças varia, como a inteligência, linguagem, habilidade para leitura e atenção. Tais fatores podem comprometer seriamente o rendimento escolar.

O diagnóstico das doenças na tireóide da mãe não é fácil. Durante a gravidez, há um natural aumento no volume da glândula, o que dificulta a identificação de anomalias.

Há uma elevada incidência do hipotireoidismo em mulheres em idade fértil. Tal fato levanta a hipótese de se fazer uma reposição hormonal durante o período. "Aparentemente os riscos da falta desses hormônios para a saúde materno-fetal são muito mais graves e previsíveis do que a utilização do hormônio tireoideano durante a gestação", diz a médica.

"Não existe uma dose hormonal indicada relacionada ao peso ou à idade gestacional. As gestantes são monitoradas com as dosagens laboratoriais pertinentes", diz. "Somente com o acompanhamento e controle, conseguimos manter um ambiente hormonal e metabólico adequado e favorável ao bom desenvolvimento fetal." O ideal é que gestantes com hipotireoidismo sejam avaliadas a cada três meses, para que se possa fazer as correções necessárias em suas dosagens hormonais.

Ações do documento