Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Tecnologia / 2010 / 09 / Compras online aumentaram 30% no último ano

Compras online aumentaram 30% no último ano

por aluno última modificação 29/09/2010 10h29
Comprar pela Internet pode parecer muito prático, mas é preciso estar atento aos contrapontos

Publicado em 22/09/2010 11h50

Última atualização em 29/09/2010 10h29

Compras online aumentaram 30% no último ano
Sites de compras coletivas chamam a atenção dos internautas pelas promoções diárias. Foto: Amanda Sartori

AMANDA SARTORI
MARIANA ANAUATE
TALITA LIMA

As compras pela Internet cresceram 30% no ano de 2009 em relação a 2008. O aumento se deve tanto ao projeto de inclusão digital, que oferece à população o acesso a esse recurso, quanto ao crescimento da renda do trabalhador brasileiro, que teve aumento de 20% nos últimos cinco anos.

De acordo com dados da PNAD 2009 (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) realizada pelo IBGE e divulgados neste mês, o número de brasileiros com acesso à Internet cresceu 113% nos últimos quatro anos e, consequentemente, o número de compras online. Foi revelado também que os maiores usuários dessa ferramenta são os jovens na faixa etária de 15 a 24 anos.

As vendas virtuais geram um impacto na economia brasileira. Isso acontece, por exemplo, pela isenção de impostos sobre os produtos comercializados, que os barateiam. Ouça outros detalhes sobre o reflexo causado na economia na explicação do professor e economista Ricardo Balistiero no áudio a seguir.

 

Hoje em dia, o acesso à Internet não é mais visto como apenas um lazer, é possível ler notícias, conversar com pessoas via web cam ou Skype, pagar contas e até mesmo fazer umas comprinhas. Todos esses serviços online acabam facilitando a vida do usuário, mas por outro lado comprova o quanto a população se acomoda pela praticidade.

Comprar pela Internet tem suas vantagens, muitas vezes o preço está bem mais em conta do que na loja física e, além disso, as lojas virtuais podem oferecer um leque maior de variedades de determinado item. Basta apenas um clique sobre o produto, que dentro de poucos dias, quando não um dia, ele será entregue na porta de sua casa.

Mas como saber se o site é seguro? E se o produto vier com defeito? Se demorar a chegar? Essas são algumas desconfianças que tornam o consumidor receoso na hora da compra e o deixa na dúvida sobre que atitudes tomar. Veja algumas dicas a seguir:

  1. Além do e-mail, verifique se a loja oferece número de telefone e endereço.
  2. Imprima todos os procedimentos realizados durante a compra: número da transação e confirmação do pedido. Se possível, solicite à loja online um fax ou uma confirmação por escrito de que a aquisição foi feita.
  3. Cuidado com promoções. Lembre-se que na maioria das vezes ao preço do produto ainda será somado o valor do frete.
  4. Antes de finalizar a compra, confira a política de troca e devolução do produto. Muitas lojas têm exceções no quesito troca, como no caso de roupas íntimas.
  5. Ao comprar num site estrangeiro, não deixe de verificar as taxas de importação e o valor do frete. Procure saber também se a empresa tem representantes no Brasil.
  6. Nunca envie suas informações de pagamento via e-mail. As informações que viajam pela Internet não são protegidas contra leitura de estranhos.

(fonte: e-bit, empresa de fornecimento de informações sobre e-commerce)

 

Outro cuidado que se deve ter está na tabela dos preços oferecidos pelas lojas virtuais que, muito atrativos, podem levar o consumidor a perder o controle na hora de comprar, querendo levar uma coisinha além do necessário, ou não se contendo em esperar para comprar no mês seguinte, e só percebe o estrago quando chega a fatura do cartão de crédito.

Adolpho Jocope Ronchi, 22, costuma comprar DVDs e aparelhos eletrônicos pela Internet. Como passou a morar sozinho, precisou equipar a casa, e no último mês acabou comprando tudo de uma vez: geladeira, TV e um jogo de sofás. Em caso de necessidade, o consumidor deve averiguar o que é mais importante, para comprar o que falta aos poucos, sem perder o controle da situação e acabar excedendo os limites de seus gastos.

Na opinião da psicóloga Rita de Cássia Ferrari Brochini podem ser vários fatores que levam uma pessoa a perder o controle, mas ela destaca duas questões principais. A primeira é: “O consumo funciona como um ‘escape’ de insatisfações e frustrações que uma pessoa tem na sua vida. Muitas vezes a própria pessoa é capaz de se perceber e rever seu comportamento, com ou sem ajuda profissional”. E o segundo grande fator, de acordo com a psicóloga é “o comportamento compulsivo, classificado dentro dos transtornos do impulso, em que a pessoa se torna um dependente da compulsão em comprar, assim como alguém que recorre a uma droga para se satisfazer. O ato de comprar é que traz o bem estar momentâneo”.

PROMOÇÃO ONLINE - Uma febre que vem crescendo no mercado online são os sites de compras coletivas. Eles oferecem uma ou duas ofertas diariamente e é preciso atingir um número mínimo de vendas proposto pelo portal para a promoção começar a valer. Caso esse número não seja atingido, a empresa se responsabiliza por devolver o valor já pago. Uma vez que a oferta esteja valendo, o cliente recebe por e-mail o seu vale desconto, que pode ser usado dentro de alguns dias ou até mesmo meses.

Dentre os sites mais famosos estão Peixe Urbano (www.peixeurbano.com.br), Clube Urbano (www.clubeurbano.com.br), Click On (www.clickon.com.br), Oferta Única (www.ofertaunica.com.br), e além desses ainda existe o What’s Off (www.whatsoff.com.br), que reúne num único portal todas as promoções do dia, de diversos sites promocionais.

Carolina Mendonça, 18, é consumidora assídua dos sites mencionados anteriormente. “Adoro esses sites porque oferecem bons descontos para vários tipos de serviços, restaurantes, cabeleireiros, teatro, hotéis. Compro com bastante frequência, mas tenho que me controlar, dá vontade de comprar tudo”, afirma a garota.

Já João Marcos Viana, 23, prefere comprar tênis pela Internet. “O preço é mais em conta do que na loja física, só vou até lá para experimentar e confirmar o tamanho, depois é só comprar na loja virtual, que oferece mais variedade de modelos”. Além disso, João compra suplementos nutricionais no mercado online. “Como são muito caros e difíceis de encontrar em qualquer lugar, a Internet traz mais praticidade na hora de buscar e de comprar”.

Quando se diz que é possível fazer tudo pela Internet, não é mais apenas um mero clichê. Outra novidade desse mercado está no ramo alimentício. Compras de supermercado já podem ser feitas via Web. E já pensou em fazer seu pedido de pizza de forma virtual? A Pizzaria Pizzamania, em São Caetano do Sul, é uma das que oferecem esse recurso. Veja no vídeo abaixo.

  


Mas nem tudo são flores no mundo do comércio eletrônico. Em contrapartida, o número de reclamações dos usuários desse tipo de serviço triplicou entre os meses de março e julho deste ano, constatando um aumento de 216% em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com dados do Procon.

As principais reclamações se devem ao atraso da entrega de produtos e da falta de peças no estoque. Em entrevista ao Jornal da Tarde, Manoel Matos, presidente da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico, disse que o mercado online não está dando conta da demanda de compras.

Ações do documento