Você está aqui: Página Inicial / Rudge Ramos Jornal / 2010 / ED 951 / São Bernardo tem elenco jovem no vôlei masculino

São Bernardo tem elenco jovem no vôlei masculino

por erik.paulussi — última modificação 01/10/2010 09h44
Depois de perder o apoio do Santander, equipe aposta em revelações da base para continuar em destaque no cenário nacional

Publicado em 01/10/2010 07h00

Última atualização em 01/10/2010 09h44

São Bernardo tem elenco jovem no vôlei masculino
A equipe, que tinha nomes como o líbero Serginho, agora aposta em revelações - Foto: Barbara Crivelaro/RRJ

ERIK PAULUSSI
do Rudge Ramos Jornal

O BMG/São Bernardo enfrenta o São Caetano/Tamoyo nesta sexta-feira (01), às 19h, no ginásio Lauro Gomes, em São Caetano. O jogo é válido pela 11ª rodada do Campeonato Paulista.

São Bernardo quase ficou sem time quando o Brasil Vôlei Clube, antigo Santander, não conseguiu patrocinadores para a temporada 2010/2011. Porém, uma parceria entre a prefeitura do município e o banco mineiro garantiu um elenco jovem para as disputas do próprio Paulista e da Superliga.

A base do time são jogadores com menos de 23 anos, com potencial de desenvolvimento futuro. Essas promessas colocaram o São Bernardo na 5ª posição da competição estadual, com seis vitórias e quatro derrotas. Para a fase de eliminatórias, passam os quatro primeiros, sendo que uma vitória separa o clube do ABC do Sesi São Paulo, o segundo colocado.

O técnico Rubinho não está no comando, já que acompanha a Seleção Brasileira auxiliando o treinador Bernardinho. O assistente Alexandre Stanzioni ficou encarregado dos treinos e das orientações na beira da quadra. “Há quatro ou cinco anos que eu e o Rubinho trabalhamos deste jeito, então é completamente normal”, comentou Stanzioni, completando que a principal diferença entre um jogador jovem e um adulto é a iniciativa. “O atleta mais experiente toma algumas decisões por conta, já o novato precisa do professor junto”, disse o treinador interino.

O São Bernardo jogou cinco das últimas seis partidas fora de casa. Para o técnico, o único problema é a falta de torcida. “Fizemos bons jogos fora de casa, às vezes perdíamos no tie break. O que complica é a questão do torcedor, que já não costuma vir para assistir o vôlei. Aí você passa um mês jogando fora de casa e, quando volta, ninguém mais lembra nada.”

Um dos destaques do São Bernardo é o oposto Renan, de 20 anos (veja o vídeo abaixo). O jogador mais alto da liga, com 2,17 metros de altura, está no clube desde 2004 e agora tem a oportunidade de se tornar titular. O atleta vem se destacando, principalmente, no quesito de bloqueios. “Ele (Renan) vem pontuando muito bem e está ajudando a equipe com isso, mas o grupo inteiro está dando conta do recado”, disse.

 

Para o levantador Fidele, 25, um dos jogadores mais experientes da equipe, com passagens pelo Vôlei Futuro na temporada passada, a principal diferença no time é a proximidade dos jogadores. “ O ambiente é muito agradável para se trabalhar e os resultados vêm na consequência disso.”

Assédio - O novo formato do BMG/São Bernardo não evita que a falta de verba seja um problema para o time. Os jovens jogadores são assediados por clubes maiores e segurá-los na equipe pode ser uma tarefa difícil.

“Isso é natural, mas a gente precisa manter uma base para continuar com uma equipe forte e competitiva”, afirmou o técnico Stanzioni.

Ações do documento

registrado em: ,