Você está aqui: Página Inicial / Rudge Ramos Jornal / Pasta 3 / Livros usados são comercializados na internet

Livros usados são comercializados na internet

por rroeditor — última modificação 26/06/2009 10h56
Com apenas alguns cliques o cliente pode adquirir o livro de sua preferência por um preço diferenciado.

Publicado em 26/06/2009 10h56

Última atualização em 26/06/2009 10h56

Carolina Orilio
do Rudge Ramos Jornal

Pouco dinheiro e falta de tempo. Esses foram os ingredientes fundamentais para os sebos se modernizarem e entrarem na rede virtual. Com apenas alguns cliques o cliente pode adquirir o livro de sua preferência por um preço diferenciado.

José Pereira Júnior é dono de um sebo tradicional em Santo André, o Sebo do Marcão, numa homenagem a seu filho. Com o aumento de vendas pela internet, Pereira preferiu adaptar a loja e fazer um acervo online. “Hoje a internet não é luxo, é uma necessidade. Comercialmente falando é importante. Dá uma ajuda, um suporte muito grande na sua venda.”

Além de locar um espaço na internet desde 2005 para vender os livros, a loja agora conta com um site próprio. O resultado foi imediato. Segundo Pereira, as vendas aumentaram consideravelmente, até por abranger um outro tipo de público.

Além da comodidade de receber o livro em casa, os clientes não perdem tempo ao ficar procurando o que deseja nas prateleiras. Com apenas o nome da obra e do autor, já aparece na tela se tem ou não o livro no acervo, a condição em que se encontra e o preço.

A estudante de gastronomia Nicole Marques faz compras em sebos virtuais desde a época do colégio. “Sempre foi a melhor opção. Mesmo com o frete o livro acaba saindo mais barato, além de poupar muito o tempo dos estudos”.

Mesmo com a facilidade, ainda tem muitos clientes que preferem ir até a loja. Daniele Bordoni, estudante de Rádio e TV, prefere gastar um pouco mais de tempo para ir até um sebo, do que comprar pela internet. “Já tentei uma vez e não deu certo. Eu paguei e o livro não chegou. O barato acabou saindo caro. Hoje prefiro optar pelo mais seguro.”

Acervo virtual  - Hoje, há alguns sites em que os sebos podem se cadastrar para disponibilizar aos usuários o acervo na rede. José Pereira Júnior afirma que, por ter site próprio há apenas seis meses, a maior venda ainda é feita pelo site Estante Virtual. “Hoje tem, em média, uns 1.300 sebos cadastrados. Nós pagamos uma comissão por mês para ter o acervo online”.

Serviço - O Sebo do Marcão fica na rua Prefeito Justino Paixão, 248, no Centro (Perimental) de Santo André. 
Além das compras pela internet, o cliente pode pedir através do telefone 4432-4001.

Ações do documento

registrado em: ,