FORMAÇÃO DOCENTE E INCLUSÃO ESCOLAR DO ALUNO COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA

Wagner Feitosa Avelino

Resumo


Este artigo objetiva apresentar resultados de uma pesquisa de revisão literária que aborda o trabalho do educador com a inclusão de alunos com Transtorno de Espectro Autista (TEA) nas escolas regulares. O TEA é determinado como uma característica sintomática ao isolamento com distúrbio de desenvolvimento, permanente e severamente incapacitante. Ao longo do tempo a inclusão educacional foi se instaurando em um direito a esses alunos com espectro, mas não foi possível observar uma configuração adequada no cotidiano das escolas brasileiras. Os resultados indicam que os estudos e pesquisa no país ainda permanecem de forma tímida, mas que necessitam ser discutidos. Embora seja possível encontrar este ideário em vários documentos legais, a ausência de políticas públicas e formações dificultam em prol da organização de práticas pedagógicas que possibilitem a permanência do aluno com TEA em sala de aula, sem que a família e os alunos sofram nesse processo de ensino e aprendizagem. Conclui-se que governos, familiares e educadores têm como meta a defesa do aluno com TEA. Contudo, na prática, os diálogos permanecem em lacunas existentes.



Palavras-chave


Autismo. Cotidiano Escolar. Formação de Professores. Inclusão.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.