A fé que oprime em Ingmar Bergman: Considerações a partir de “Luz de Inverno” e “O Sétimo Selo”

José da Cruz Lopes Marques

Resumo


O presente artigo tenciona propor um diálogo entre teologia e cinema, tendo como fio condutor a temática da fé e suas possíveis relações à luz da doutrina cristã. Para este fim, a discussão será conduzida a partir de dois filmes que aprofundam a problemática da fé. A visão de uma fé que oprime, angustia e desespera em virtude de seu caráter paradoxal e absurdo será discutida a partir dos filmes Luz de inverno e O sétimo selo do cineasta sueco Ingmar Bergman. Eventualmente, recorreremos a categorias da filosofia kierkegaardiana a fim de lançar luz ao entendimento apresentado por Bergman nos filme supracitados. 


Palavras-chave


Cinema; Bergman; Teologia; Fé; Dilemas existenciais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1677-2644/correlatio.v16n1p237-258

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.