A obra de arte “Guernica”: diálogos com Tillich e Heidegger.

Danjone Regina Meira

Resumo


O presente estudo propõe a constituição de um diálogo entre Paul Tillich (1886-1965) e Martin Heidegger (1889- 1976) a partir da presença da arte na dimensão humana. Nessa perspectiva, elegemos a obra de arte “Guernica” (1937) de Pablo Picasso, enquanto um exemplo de arte visual que apresenta especialmente a situação existencial. Buscamos apresentar os aspectos principais da compreensão da arte na dimensão do pensamento de Tillich e Heidegger. A relação fundamental da arte e cultura se apresenta na obra “Teologia da cultura” (1959) de Tillich, destacando-se o aspecto simbólico da “obra de arte”. A arte é, portanto, uma expressão da cultura. Mas, para além disso, a “obra de arte” revela o incondicionado, a profundidade do sentido e do “Ser”. Nesse sentido, essa pesquisa tem por objetivo analisar os aspectos principais da compreensão da “obra de arte”, tanto na “ontologia existencial” de Tillich quanto na “ontologia” de Heidegger, após a “virada”, que denominamos de “ontologia poética”. Tendo como ponto de partida para o diálogo, o escrito de Heidegger “A origem da obra de arte” e os escritos de Tillich “Teologia sistemática” e “Teologia da cultura”.


Palavras-chave


Tillich; Heidegger; obra de arte; cultura; incondicionado.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1677-2644/correlatio.v16n1p201-224

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.