“Richtung Auf das Unbedingte” and “Self-Transparency”: The Foundations of Paul Tillich’s Philosophy of Spirit, Meaning, and Religion (1919-1925)

Fabio Henrique de Abreu

Resumo


O presente artigo tem por objetivo apontar alguns aspectos essenciais da filosofia da religião desenvolvida por Paul Tillich durante o período de sua guinada em direção a uma teoria idealista-neokantiana do sentido. Intenciona-se oferecer uma análise exegética que procura sistematizar, com a ajuda da literatura secundária contemporânea, as principais obras sobre a filosofia do espírito, sentido e religião por Tillich elaborada entre os anos de 1919 e 1925. Minha intenção é demonstrar que este período intermediário da produção acadêmica de Tillich constitui uma chave hermenêutica indispensável que nos proporciona um entendimento da totalidade de seus escritos filosóficos e teológicos. A fim de alcançar este objetivo, a presente análise procurará elucidar, nos limites destas páginas, a função teorética do conceito de “sentido” na construção do conceito tillichiano de religião, bem como sua função enquanto uma descrição da autoconsciência individual. Por conseguinte, a pesquisa procurará não somente oferecer uma análise rigorosa dos trabalhos de um autor canônico na tradição pós-kantiana dos estudos acadêmicos da religião, como também cobrir uma lacuna nos estudos tillichianos realizados no Brasil, que ainda carecem de uma análise compreensiva do período filosófico em questão.


Palavras-chave


Paul Tillich; período intermediário; teoria idealista-neokantiana do sentido; filosofia do espírito, sentido e religião; autoconsciência individual.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1677-2644/correlatio.v16n1p5-97

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.