Imediatismo e formação cultural no ensino de Jornalismo - DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2175-7755/cs.v35n1p43-64

José Salvador Faro

Resumo


Com a entrada em vigor das novas diretrizes curriculares para a graduação em Jornalismo já é possível identificar a persistência das percepções e linhas pedagógicas gerais que até agora caracterizavam a filosofia dos cursos: maior ou menor ênfase nas questões de natureza cultural e/ou operacional dos alunos. O presente ensaio faz considerações a respeito das limitações que isso pode representar na implementação das novas diretrizes e procura apontar deficiências de formação dos estudantes que tendem a se sobrepor aos temas principais do debate que antecedeu a conclusão do relatório final da Comissão de Especialistas. Na hipótese de que essas deficiências não sejam sanadas nas discussões que devem ocorrer nas inúmeras reformas curriculares que as diretrizes ensejarão, nada indica que a renovação do ensino de jornalismo supere a crise de identidade em que o campo profissional se encontra mergulhado; ao contrário: pode agravá-la.


Palavras-chave


Ensino de jornalismo; formação dos jornalistas; cursos de Jornalismo; diretrizes curriculares

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2175-7755/cs.v35n1p43-64

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.