Neoliberalismo, guerra híbrida e a campanha presidencial de 2018

Julio Cesar Lemes de Castro

Resumo


O resultado da última eleição presidencial no Brasil insere-se numa inflexão hiperautoritária do neoliberalismo em escala global, a partir especialmente do referendo do Brexit e da vitória de Trump. No âmbito nacional, ele coroa o processo de crise simultânea da Nova República e do lulismo, que se desdobra em diversas etapas: as Jornadas de Junho, em 2013; a Lava Jato, a partir de 2014; o golpe parlamentar-judicial contra Dilma Rousseff, em 2016; e a campanha de Jair Bolsonaro, em 2018. Tais etapas podem ser consideradas episódios de guerra híbrida, modalidade de luta política que aprofunda o componente de desestabilização característico do neoliberalismo. Neste artigo, com base em pesquisa bibliográfica e observações empíricas, a campanha de Bolsonaro é investigada como manifestação de guerra híbrida, levando em conta a infraestrutura midiática montada, a anomia informacional provocada, as narrativas e afetos mobilizados e a estética do meme utilizada.


Palavras-chave


neoliberalismo; guerra híbrida; eleição 2018; Bolsonaro

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor W. Freudian theory and the pattern of fascist propaganda. The culture industry: selected essays on mass culture. London and New York: Routledge, 2001. p. 132-157.

AUTOR. referência1.

AUTOR. referência2.

AUTOR. referência3.

AUTOR. referência4.

AUTOR. referência5.

AVAAZ. Roubadas pelo WhatsApp! Pesquisa mostra que eleições brasileiras foram “inundadas” por fake news. 31 de outubro de 2018. Disponível em . Acesso em: 25 fev. 2019.

BECKER, Gary S. Human capital: a theoretical and empirical analysis, with special reference to education. 3rd ed. Chicago and London: University of Chicago Press, 1993.

CHIVVIS, Christopher S. Understanding Russian “hybrid warfare” and what can be done about it. Santa Monica: RAND Corporation, 2017.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix: L’anti-Œdipe: capitalisme et schizophrénie. nouv. éd. augm. Paris: Minuit, 1973.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mille plateaux: capitalisme et schizophrénie. Paris: Minuit, 1980.

DUNLAP, Charles J. Law and military interventions: preserving humanitarian values in 21st conflicts. In: HUMANITARIAN CHALLENGES IN MILITARY INTERVENTIONS CONFERENCE, 2001, Washington (DC). Proceedings... Washington (DC): Carr Center for Human Rights Policy, 2001.

FAGUNDEZ, Ingrid. Como exército de voluntários se organiza nas redes para bombar campanha de Bolsonaro a 2018. BBC Brasil, 26 de maio de 2017.

FERREIRA, Gabriel; SOARES, João Pedro. Como funciona a máquina de WhatsApp que pode eleger Bolsonaro. Época, 24 de outubro de 2018.

FOUCAULT, Michel. Naissance de la biopolitique: cours au Collège de France, 1978-1979. Paris: Gallimard/Seuil, 2004.

FRASER, Nancy. From progressive neoliberalism to Trump – and beyond. American Affairs, v. 1, n. 4, p. 46-64, Winter 2017.

FREUD, Sigmund. Massenpsychologie und Ich-Analyse. In: Gesammelte Werke, dreizehnter Band: Jenseits des Lustprinzips / Massenpsychologie und Ich-Analyse / Das Ich und das Es. 5. Aufl. Frankfurt am Main: S. Fischer, 1967. p. 71-161.

FRIEDMAN, Milton, with the assistance of Rose D. Friedman. Capitalism and freedom. 40th anniv. ed. Chicago and London: University of Chicago Press, 2002.

FUNDAÇÃO PERSEU ABRAMO. Percepções e valores políticos nas periferias de São Paulo. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2017.

G1. Veja o que é #FATO ou #FAKE nas entrevistas de Jair Bolsonaro para o Jornal Nacional e para o Jornal das Dez. G1, 29 de agosto de 2018a.

G1. Datafolha: quantos eleitores de cada candidato usam redes sociais, leem e compartilham notícias sobre política. G1, 3 de outubro de 2018b.

GALLEGO, Esther Solano; ORTELLADO, Pablo; MORETTO, Marcio. Guerras culturais e populismo antipetista nas manifestações por apoio à Operação Lava Jato e contra a reforma da previdência. Em Debate, Belo Horizonte, v. 9, n. 2, agosto de 2017.

GASPAR, Malu. No submundo do marketing político. Piauí, 22 de outubro de 2018.

HALL, Stuart. The neo-liberal revolution. Cultural Studies, v. 25, n. 6, p. 705-728, Nov 2011.

HARVEY, David. A brief history of neoliberalism. Oxford: Oxford University Press, 2005.

HAYEK, Friedrich A. Studies in philosophy, politics and economics. London: Routledge, 1967.

JUBÉ, Andrea. Brasil é 1º caso de fake news maciça para influenciar votos, diz OEA. Valor, 25 de outubro de 2018.

KALIL, Isabela Oliveira. Quem são e no que acreditam os eleitores de Jair Bolsonaro. outubro de 2018. Disponível em . Acesso em: 25 fev. 2019.

KLEIN, Naomi. The shock doctrine: the rise of disaster capitalism. New York: Metropolitan, 2007.

KORYBKO, Andrew. Hybrid wars: the indirect adaptive approach to regime change. Moscow: Peoples’ Friendship University of Russia, 2015.

KORYBKO, Andrew. The “yellow vests” are hybrid war blowback, not “Russian agents”. Eurasia Future, Dec 10, 2018.

LACLAU, Ernesto. On populist reason. London and New York: Verso, 2005.

LAVAL, Christian. Bolsonaro e o momento hiperautoritário do neoliberalismo. 29 de outubro de 2018. Disponível em . Acesso em: 25 fev. 2019.

LAVAL, Christian; DARDOT, Pierre. La nueva razón del mundo: ensayo sobre la sociedad neoliberal. Traducción de Alfonso Diez. Barcelona: Gedisa, 2013.

LEAL, Paulo César. A guerra híbrida: reflexos para o sistema de defesa do Brasil. Doutrina Militar Terrestre em Revista, p. 6-17, janeiro-junho de 2016.

MARÉS, Chico; BECKER, Clara; RESENDE, Leandro. Imagens falsas mais compartilhadas no WhatsApp não citam presidenciáveis, mas buscam ratificar ideologias. Piauí, 18 de outubro de 2018.

MELLO, Patrícia Campos. Empresários bancam campanha contra o PT pelo WhatsApp. Folha de S.Paulo, 18 de outubro de 2018.

MORO, Sergio Fernando. Considerações sobre a Operação Mani Pulite. Revista CEJ, Brasília, n. 26, p. 56-62, julho/setembro de 2004.

MOUFFE, Chantal. On the political. London; New York: Routledge, 2005.

NOBRE, Marcos. O fim da polarização. Piauí, n. 51, 2010.

OFFE, Claus. Disorganized capitalism: contemporary transformations of work and politics. Cambridge (MA): MIT Press, 1985.

OLIVEIRA, Filipe. Facebook chega a 127 milhões de usuários mensais no Brasil. Folha de S.Paulo, 18 de julho de 2018.

PRONER, Carol, et al. (orgs.). Comentários a uma sentença anunciada: o processo Lula. Bauru: Canal 6, 2017.

SENNETT, Richard. The corrosion of character: the personal consequences of work in the new capitalism. New York and London: W. W. Norton, 1998.

SIMÕES, Mariana. Grupos pró-Bolsonaro no WhatsApp orquestram notícias falsas e ataques pessoais na internet, diz pesquisa. El País, 23 de outubro de 2018.

SINGER, André. Os sentidos do lulismo: reforma gradual e pacto conservador. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

TARDÁGUILA, Cristina; MARÉS, Chico. Dez notícias falsas com 865 mil compartilhamentos: o lixo digital do 1º turno. Piauí, 7 de outubro de 2018.




DOI: https://doi.org/10.15603/2175-7755/cs.v42n1p261-291

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.