Educação como situação gnosiológica e via para pensar complexo

João Henrique Suanno, Marilza Vanessa Rosa Suanno, Márcia de Fátima Ferreira Balieiro

Resumo


Esse artigo apresenta reflexões em torno da obra ‘Extensão ou comunicação?’, de Paulo Freire (2013), que foi inspiração para a elaboração de projetos desenvolvidos na Escola Municipal João Paulo I, no município de Goiânia/Goiás, em parceria com o Estágio Curricular Obrigatório do curso de Pedagogia da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás – UFG. O estudo da obra de Paulo Freire nos mobilizou a pensar o ato pedagógico como um ato gnosiológico com potencialidade para auxiliar o ser humano em seu processo de humanização, bem como impulsionar o esforço coletivo de construção de uma sociedade democrática que contribua para o enfrentamento das desigualdades e injustiças. Para tal, recorre-se ao sentido gnosiológico do termo extensão, para além dos equívocos de estender ações e da alienação da ignorância. A reflexão valoriza e respeita o lugar simbólico de pertença de cada pessoa no mundo sem que se imponha a compreensão de quem chega, em uma relação que se inicie como seres humanos em processo de autorreconhecimento, de produção coletiva e de transformação. Os projetos educativos desenvolvidos na Educação de Adolescentes, Jovens e Adultos - EAJA e apresentados nessa publicação tiveram a intenção de pensar complexo (MORIN, 2011) sobre metatemas, ou seja, temas fundamentais para rever os caminhos da humanidade.

 


Palavras-chave


Educação. Escola. Estágio.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/2176-1043/el.v24n2p175-192

ISSN IMPRESSO: 1415-9902

ISSN ELETRÔNICO: 2176-1043

      IRESIE

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.