Memórias de Caos e cosmos nos cristianismos das origens: uma análise narrativa do Apocalipse de João

Kenner Roger Cazotto Terra

Resumo


Durante muito tempo o Apocalipse de João foi lido como descrição da realidade dos cristãos no Império Romano, como se o texto pudesse ser reflexo de fatos decifrados pela linguagem apocalíptica.  Neste texto, depois de superar as leituras histórico-sociais feitas do livro do Apocalipse, as quais tentaram demonstrar que ele foi uma espécie de mensagem cifrada para a criação de esperança a cristãos perseguidos por Roma, será apresentada a leitura que leva em consideração as estratégias narrativas para o estabelecimento discursivo não de esperança, mas de uma leitura pessimista e de terror. Para tanto, há a relação dialógica prevista pela narrativa entre enunciador e enunciatário, os quais compartilham o conjunto de textos que transitam na semiosfera.

Memória; cosmos; Apocalipse; Narrativa; Caos

Palavras-chave


Memória; cosmos; Apocalipse; Narrativa; Caos

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1078/er.v31n3p377-393

 

           

 

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.