Ecos da Guerra de Canudos em dois jornais protestantes de São Paulo (1896-1897)

Leonildo Silveira Campos

Resumo


Resumo:

 A Guerra de Canudos, em sua fase final (1897), deixou de ser um conflito local, para se tornar um acontecimento nacional. Várias unidades do Exército foram deslocadas para a região. O conflito deixou aproximadamente vinte mil mortos. A imprensa secular desempenhou um importante papel, mobilizando a opinião pública contra os camponeses liderados por “Antonio Conselheiro”. Este artigo tem por objetivo mapear o material publicado em dois jornais protestantes editados na cidade de São Paulo: O Estandarte, dos presbiterianos; e O Expositor Cristão, dos metodistas. A análise que chegamos foi a seguinte: A atitude dos dois jornais não foram diferentes dos jornais seculares, exceto na atribuição da causa da tragédia à religião dominante – o catolicismo. Porém, o entusiasmo pela República, por parte dos protestantes brasileiros, talvez tenha sido o maior motivo na oposição a Canudos.

 


Palavras-chave


Palavras chaves: termo 1 Canudos; termo 2 Imprensa Protestante; termo 3 Antonio Conselheiro; termo 4 República Velha.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1078/er.v31n1p37-59

 

           

 

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.