A CNBB como promotora de notícia e fonte de informação da religião católica no Jornalismo: notas como ritual estratégico e meios alternativos de agendamento

Robson Dias, Eliane Muniz Lacerda, Victor Márcio Laus Reis Gomes

Resumo


Este artigo investiga material empírico, documental, por meio de análise de conteúdo: notas e meios alternativos de agendamento midiático (1968-1977) feitos pela Conferência dos Bispos do Brasil (CNBB), durante o período da Ditadura Militar no Brasil. A análise leva em conta, tematicamente, cinco casos de religiosos acusados pelo Estado de praticar atividades subversivas, publicados em Folha de S. Paulo, Jornal do Brasil, O Estado de S. Paulo e O Globo. O objetivo é o de resgatar a CNBB como ator no processo de produção da notícia (MOLOTCH e LESTER, 1999), além das ações tomadas como news promoters (assessores, organizações) ao se relacionar com os news assemblers (repórteres, editores, redações) negociando sentidos a serem ofertados no noticiário aos news consumers (público leitor). Muito mais que fonte de notícias no espaço público e no espaço midiático, a CNBB participou ativamente em prol de da cidadania, em prol da luta pelos direitos humanos.


Palavras-chave


CNBB, Agendamento, Jornalismo, News Promoters, Rituais Estratégicos

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1078/er.v32n1p25-44

 

           

 

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.