Apresentação

Helmut Renders

Resumo


A primeira edição de 2017 da Estudos da Religião não organiza os artigos em forma de um dossiê, mas, tem mesmo assim duas ênfases temáticas. Os primeiros três artigos abordam temas relacionadas com questões de religião e gênero e os próximos dois com questões de religião, violência e guerra.

 

Heiberle Hirsgberg Horácio, em Práticas discursivas religiosas na esfera pública: examinadas sob a luz do pensamento de Jürgen Habermas, e ilustrada através do caso de um “Manual de Bioética” e seus enunciados sobre a “Teoria de Gênero”, investiga, primeiro, o discurso relativo à “Teoria de Gênero” contido no manual católico de bioética e, segundo, a forma da sua distribuição como exemplo da atuação da religião na esfera pública.

 

Celso Gabatz, em Religião, laicidade e direitos sexuais e reprodutivos: a presença de grupos religiosos conservadores nos espaços públicos da contemporaneidade, estuda os ataques contra os direitos de mulheres por meio da presença política de grupos religiosos conservadores na política. Baseado no modelo do estado como laico, denuncia extremismos religiosos e laicos e sugere mais tolerância. 

 

Neiva Furlin, em A produção do feminino: representações de gênero no discurso teológico tradicional, questiona como discursos teológicos masculinos impactam sobre as subjetividades femininas. O estudo usa a perspectiva da genealogia, inspirada em Michel Foucault e a parte de pressupostos teóricos dos estudos feministas e de gênero, segundo a perspectiva pós-estruturalista.

 

Wilhelm Wachholz, em Cultura das violências (des)necessárias, apresenta um estudo do tema da religião e violência conectando diferentes épocas e localidades, sua potencialização por igrejas contemporâneas,

 

Leonildo Silveira Campos, em Ecos da Guerra de Canudos em dois jornais protestantes de São Paulo (1896-1897) mostra com a imprensa protestante lidou com os acontecimentos em Canudos.

 

David Mesquiati de Oliveira, Pachamama: uma perspectiva religiosa Quéchua sobre natureza e religião, apresenta um estudo da cosmologia e da cosmogonia dos povos andinos, especialmente do Quéchua,

 

 

 

Josias da Costa Júnior, A mística do cuidado em Albert Schweitzer, introduz em

em alguns aspectos dessa mística do cuidado a partir do pensamento de Albert Schweitzer.

 

Valdenildo dos Santos, em identidade divina em fragmentos do Êxodo, mostra que a semiótica transforma-se em importante ferramenta para a leitura de enunciados de caráter verbal, no caso, de forma objetiva, mesmo que este tenha relevância religiosa como objeto da fé no bojo de religiões ao redor do mundo levadas a interpretações variadas e subjetivas.

 

Helmut Renders


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1078/er.v31n1pI-IV

 

           

 

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.