As texturas heterológicas: trajetórias místicas em Michel de Certeau

Gustavo Soldati Reis

Resumo


O presente texto tem por objetivo analisar a concepção da categoria mística no pensamento do cientista da religião e historiador, o jesuíta francês Michel de Certeau. Com “trajetórias místicas” aponta-se, por hipótese, para três dimensões do discurso certeauniano acerca da mística: a trajetória autoral onde Certeau assume, em sua própria vida e produção textual um itinerário místico; a trajetória historiográfica, onde Certeau notabiliza-se por ler a história cultural do ocidente cristão (a partir das cisões causadas pelo início da modernidade - séculos XVI e XVII) em torno da linguagem e dos movimentos místicos e, por fim, a trajetória epistemológica, onde o intelectual francês toma a mística como categoria analítica central em sua produção de conhecimento para a análise da linguagem religiosa. 


Palavras-chave


1. Mística; 2. Religião; 3. Heterologia; 4. História; 5. Michel de Certeau

Texto completo:

PDF

Referências


BARTHES, Roland. Authors and Writers. In: SONTAG, Susan (ed.). A Barthes reader. New York: Harper Collins, 1983.

CERTEAU, Michel de. La fable mystique, I. XVIe-XVIIe siècle. Paris: Gallimard, 1986.

__________. The Mystic Fable. Volume One. The Sixteenth and Seventeenth Centuries. Chicago: The University of Chicago Press, 1992.

__________. A Invenção do Cotidiano. Vol. I – Artes de fazer. 3.ed. Petrópolis: Vozes, 1998.

__________. Heterologies. Discourse on the Other. Minneapolis: University of Minnesota, 2000.

__________. La debilidad de creer. Buenos Aires: Kaatz, 2006.

__________. El lugar do Outro. Historia religiosa y mística. Buenos Aires: Katz, 2007.

__________. A Escrita da História. 3.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2011a.

__________. História e Psicanálise: Entre Ciência e Ficção. Belo Horizonte: Autêntica, 2011b.

__________. A Fábula Mística. Séculos XVI e XVII.Volume I. São Paulo: Gen/Forense Universitária, 2015.

CHINCHILLA, Perla (Coorda.). Michel de Certeau, un pensador de La diferencia. México, D.F. Universidad Iberoamericana, 2009.

DOSSE, François. Michel de Certeau. El Caminante Herido. México, D.F. Universidad Iberoamericana, 2003.

GEERTZ, Clifford. Obras e Vidas. O antropólogo como autor. Rio de Janeiro: EdUFRJ, 2005.

JOSGRILBERG, Fabio B. Cotidiano e Invenção. Os espaços de Michel de Certeau. São Paulo: Escrituras, 2005.

MAIGRET, Éric. Les trois héritages de Michel de Certeau. Un projet éclaté d'analyse de la modernité. In: Annales. Histoire, Sciences Sociales. 55ᵉ année, n. 3, 2000. p. 511-549. Disponível em: http://www.persee.fr/doc/ahess_0395-2649_2000_num_55_3_279861. Acesso em : 23/05/2017.

VIDAL, Daniel. Figures de la mystique : le dit de Michel de Certeau. In: Archives de sciences sociales des religions, n°58/2, 1984. pp. 187-194. Disponível em: http://www.persee.fr/doc/assr_0335-5985_1984_num_58_2_2334. Acesso em: 22/05/2017.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. A Inconstância da Alma Selvagem. São Paulo: Cosac & Naify, 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1078/er.v32n2p69-87

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


 

           

 

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.