A Filosofia e a máquina de fazer índices

Sérgio Lima dos Santos Nastasi

Resumo


O presente texto visa a problematização do ensino de Filosofia na Educação Básica em um contexto de maior enquadramento do trabalho docente nas escolas públicas do estado de São Paulo. Argumenta-se que o poder educacional vem transformando as escolas em máquinas de fazer índices, em detrimento das experiências mínimas ou dos disparadores de pensamentos e afetos no cotidiano dos encontros aprendentes. Para tanto, mobilizam-se conceitos de Gilles Deleuze, Gilles Deleuze e Félix Guattari e Georges Didi-Huberman a fim de pensar as possibilidades da Filosofia na escola.


Palavras-chave


Filosofia. Educação. Filosofar. Ensino-aprendizagem. Possibilidade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/2175-7747/pf.v8n1-2p37-44

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.