Filosofia e educação: crítica foucaultiana Por vias epistemológicas da filosofia da Resistência

José Pascoal Mantovani

Resumo


Este artigo tem como objeto de pesquisa o tema da filosofia e educação, bem como a idiossincrasia destes dois tópicos. Como objetivo geral deste trabalho, espera-se apresentar caminhos epistemológicos relacionados a filosofia da Educação a partir da constituição da subjetividade do filósofo francês Michel Foucault (2018). Os objetivos específicos serão: (i) apresentar a relação indissociável entre filosofia e educação a partir de contribuições kantianas (1996) e de Adorno (2014); (ii) destacar a dimensão da subjetividade em Foucault (2018) e sua abordagem sobre a constituição do sujeito que traz o duplo existencial (do si mesmo para o outro); (iii) destacar o impacto da resistência filosófica quando feita a partir de uma epistemologia que lança o sujeito para o centro da reflexão. A problematização que pautará a reflexão deste artigo será: Qual o papel da educação na construção da subjetividade do sujeito? Com essa pergunta, espera-se propor caminhos hermenêuticos que auxiliem no processo educacional. A metodologia deste trabalho é a revisão bibliográfica do autor Michel Foucault e comentarista como Edgarbo Castro (2016) e Veiga-Neto (2000).


Palavras-chave


Foucault; Epistemologia; educação.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/2175-7747/pf.v8n1-2p69-77

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.