FINANÇAS PESSOAIS: UM ESTUDO DA RELAÇÃO ENTRE A EDUCAÇÃO FINANCEIRA E O ENDIVIDAMENTO DOS SERVIDORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ

Ana Karine Paulino da Silva, Francisco Gildemir Ferreira da Silva, Julie Lima Ferreira, Pablo Anthony Costa Castro

Resumo


O cenário de acesso facilitado ao crédito, aliado a uma desinformação sobre finanças pessoais são fatores estudados como possíveis ensejadores do endividamento pessoal. Diante disso, o trabalho verifica a relação existente entre o nível de educação financeira e o grau de endividamento dos servidores da Universidade Federal de Ceará (UFC).

A seguinte pesquisa descritiva objetiva estudar as características educacionais, renda, idade, sexo, socioeconômicos e demográficos dos servidores. Sendo um levantamento ou survey e bibliográfica.

Constatou-se com base na amostra que um maior conhecimento em finanças pessoais está associado a menores índices de endividamento, onde em maioria as mulheres obtiveram piores níveis de endividamento do que homens. Percebeu-se uma maior frequência de endividamento na faixa etária de 31 a 55 anos. A renda e a escolaridade não apresentaram uma relação bem definida com o endividamento. Esta pesquisa contribui para aprofundar o debate sobre a relação educação financeira e endividamento.


Palavras-chave


Endividamento; Educação Financeira; Consumo e Crédito

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/2177-7284/regs.v11n2p3189-3213

Revista Eletrônica Gestão e Serviços

(ISSN online 2177-7284) é uma publicação da Universidade Metodista de São Paulo.

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.