Relação entre Reservas Orçamentárias e Orientação de Valor Social

Maria Carolina Gazso Righetti, Ricardo Lopes Cardoso, José Carlos Tiomatsu Oyadomari, Octávio Ribeiro de Mendonça Neto

Resumo


Os estudos sobre reservas orçamentárias ainda continuam inconclusivos, mas destaque tem sido dado aos aspectos comportamentais. O presente trabalho inova ao testar empiricamente se a orientação de valor social (comportamento pró-social, competitivo e individual) dos indivíduos pode contribuir para a formação de folga orçamentária. O estudo é do tipo single entity, com a pesquisa sendo feita com 41 gestores de uma multinacional americana do segmento de autopeças. A pesquisa foi realizada em duas fases: Na primeira, os participantes responderam a um instrumento de orientação de valor social. E na segunda fase do procedimento, os participantes foram submetidos a um experimento orçamentário a fim de se analisar o processo de formação de folga orçamentária.  Os resultados confirmaram a propensão para formação de folga orçamentária, mas não foi possível confirmar as hipóteses teóricas de que a orientação de valor social cooperativa contribui para a redução da folga orçamentária, sugerindo que outros fatores possam estar interferindo nesse fenômeno.


Palavras-chave


Orçamento; Folga Orçamentária; Teoria de Orientação de Valor Social;

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/2176-9583/refae.v9n1p117-134

 

Revista da Faculdade de Administração e Economia

ISSN: 2176-9583
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.