Mercantilização do ensino: a percepção dos docentes do ensino superior privado no Brasil

Míriam Rabelo Gontijo, Fernando Coutinho Garcia

Resumo


Este artigo buscou analisar a vida profissional de docentes da educação superior de grandes grupos privados, com unidades em Belo Horizonte, Minas Gerais, diante da crescente “empresarialização” (DEMO, 2007) do ensino no Brasil. O objetivo principal do estudo foi caracterizar a vida profissional desses professores, que vêm atuando em instituições cada vez mais similares a qualquer outro tipo de empresa, com metas e prazo pré-estabelecidos e tarefas padronizadas a serem cumpridas, o que às vezes os privam da autonomia e criatividade em seu trabalho. Para se chegar aos resultados da pesquisa, utilizou-se uma abordagem qualitativa, com o método histórias de vida (ATKINSON, 2002). Seis docentes que trabalham ou trabalharam no ensino superior privado de grandes grupos educacionais foram convidados a falar sobre sua trajetória profissional. O tratamento dos dados se deu pela análise de conteúdo (BARDIN, 1979). Os resultados mostraram que os grandes grupos educacionais têm investido em programas informatizados que vêm não somente substituindo o trabalho presencial do docente por plataformas, como também engessando o trabalho desses professores. Os docentes, segundo seus relatos, sentem-se desamparados e desvalorizados por suas instituições. Os sistemas de gerenciamento institucionais ainda servem como ferramentas remotas de vigilância e “adestramento” (MENDONÇA NETO; ANTUNES; VIEIRA, 2012), utilizados não somente com finalidades pedagógicas, mas também para controlarem o trabalho cotidiano dos professores. Além deles, diversas formas de precarização e intensificação de esforços docentes podem ser derivadas da busca por lucros dessas grandes instituições, agora comumente chamadas de companhias


Palavras-chave


Docente. Instituições de Ensino Superior Privado. Precarização. Intensificação. Sistemas de Gerenciamento Informatizados

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/2176-9583/refae.v8n2p60-86

 

Revista da Faculdade de Administração e Economia

ISSN: 2176-9583
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.