Análise heurística do isomorfismo institucional na escolha dos artefatos de contabilidade gerencial

Aucione Aparecida Barros Guimarães, Roberto Miranda Pimentel Fully, Deise Freitas, Elenice Maria da Silva

Resumo


Este trabalho teve como objetivo investigar a influência do isomorfismo institucional na adoção dos artefatos de contabilidade gerencial. Através de um estudo de caso, os dados foram coletados por meio de uma entrevista realizada em uma Cooperativa de Crédito do município de Caratinga, Minas Gerais. Procurou-se entender até onde a necessidade de se assemelhar com uma outra cooperativa interfere na adoção dos artefatos gerenciais. Padrões ditados tem sido geralmente copiados, esses fatores podem estar entrelaçados a pressões isomórficas. Diante do objetivo proposto, o trabalho caracteriza-se como descritivo e utiliza o procedimento de survey. A resposta esperada é a de reafirmar a suposição da teoria institucional e entender se o método já utilizado se aplica a outras organizações. Quanto ao objetivo específico, foi identificado que a Cooperativa de Crédito utiliza doze dos vinte artefatos apresentados. Com relação aos Métodos e Sistemas de Custeio, utiliza o ABC, Custo Meta, Custeio por Absorção e Custeio Variável. Entre os Métodos de Avaliação e Medidas de Desempenho apresentados, utiliza o Benchmarking, Valor Presente, Análise do Ponto de Equilíbrio e Moeda Constante. Das Filosofias e Modelos de Gestão, utiliza o Orçamento, Simulações, Descentralização, Teoria das Restrições e o Balanced Scorecard. Quanto à influência do isomorfismo institucional na adoção dos artefatos gerenciais, a partir dos resultados, pode-se concluir que existem traços de isomorfismo normativo decorrente da profissionalização, contudo esta forma de pressão isomórfica não é determinante na adoção dos artefatos de contabilidade gerencial. O que na verdade pode-se observar em relação aos artefatos, é que eles não sofrem com fatores isomórficos, considerando que existe uma incerteza entre os representantes de qual método é utilizado. Os testes mostraram tendências de isomorfismo normativo em relação à formação dos presentes, entretanto, dada a não apresentação clara dos artefatos gerenciais pela Cooperativa de Crédito, não foi possível confirmar o isomorfismo nas técnicas.

Palavras-chave


Isomorfismo; contabilidade gerencial; artefatos gerenciais; teoria institucional; cooperativa.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15603/2176-9583/refae.v8n2p87-107

 

Revista da Faculdade de Administração e Economia

ISSN: 2176-9583
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.