Investigando permanências africanas

Ariadne Guimarães Dias

Resumo


O presente artigo tem por objetivo apresentar as linhas-chave da dissertação de mestrado que investiga a presença africana no jornal “A Voz da Raça”, publicado entre os anos de 1933 a 1937, na cidade de São Paulo. Para isso são definidos três momentos/situação-problema: 1. Investigação do personagem, objeto da pesquisa, o negro no início do século passado (XX), em São Paulo (SP); 2. As ideologias nas quais ele se encontrava imerso, em especial o discurso criado, defendido e propagado pelo Racismo Científico e 3. A resposta da população negra no fenômeno que ficou conhecido como a Imprensa Negra, em especial, no jornal da Frente Negra Brasileira (FNB). Estruturado como um trabalho historiográfico, interdisciplinar com fonte primária, de base qualitativa, exploratória-descritiva, a dissertação desenvolveu métodos de pesquisa que permitissem a identificação da permanência da matriz africana entre os “filhos” da diáspora no jornal dos frentenegrinos, propiciando a recuperação de um momento crucial da história dos negros no Brasil, bem como a divulgação dos nomes dos homens que ajudaram a promover essa diferença.


Palavras-chave


A Voz da Raça, Frente Negra Brasileira (FNB), Imprensa Negra, Educação e Racismo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15603/1679-8104/ce.v17n35p87-98

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.