Efeitos da fisioterapia aquática para alívio da dor no período pós-operatório de cirurgia de quadril em pacientes com paralisia cerebral grave

Kátia Magdalena Nascimento, Renata Aline de Medeiros, Caio Roberto Aparecido de Paschoal Castro, Douglas Martins Braga, José Luis Rodrigues Barbosa

Resumo


Introdução: A incidência de luxação do quadril na Paralisia Cerebral (PC) espástica varia entre 7% e 60%, muitas vezes o tratamento é cirúrgico, sendo que a dor é frequente no pós-operatório. Objetivo: Verificar a influência da fisioterapia aquática para o alívio da dor e qualidade de vida no pós-operatório de luxação de quadril em pacientes com PC GMFCS V. Metodologia: Foram aplicados três questionários respondidos pelos pais: a Escala Visual Analógica (EVA), relacionado a intensidade da dor durante o manuseio; o Child Health Questionnare (CHQ-PF50) e o NOPPAIN. Resultados: Foram analisados 3 pacientes e apresentavam queixa álgica relatada pelos pais. Observou-se através da EVA que ocorreu uma redução significativa da dor após 12 semanas (p=0,043 e d=0,99), sendo o pico de redução após duas semanas (p=0,033 e d= 0,98). NOPPAIN inicial e após 12 semanas também houve redução significativa da dor (p=0,046 e d= 0,99), sendo após duas semanas o pico de diminuição (p=0,01 e d= 0,95). Notamos melhora da CHQ–PF50 inicial e final (p= 0,0073 e d= 0,7). Conclusão: A fisioterapia aquática foi eficaz para o alívio da dor no pós-operatório de cirurgia de quadril em pacientes com PC GMFCS V, apresentando influência positiva na qualidade de vida.


Palavras-chave


Fisioterapia Aquática, Paralisia Cerebral, Dor, Cirurgia de quadril, Luxação de quadril.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15602/1983-9480/cm.v21n42p31-40

 

Editora Universitária Metodista IPA
Rua Cel. Joaquim Pedro Salgado, 80 - Prédio A - Sala A001
Cep.: 90420-060 - Porto Alegre - RS | (51) 3316.1249