INCLUSÃO PELO TRABALHO FORMAL NO CONTEXTO DA SAÚDE MENTAL NO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE/RS PELA PERSPECTIVA DA TERAPIA OCUPACIONAL

Rafaela Peixoto Reinheimer, Clemildo Anacleto da Silva

Resumo


RESUMO

 

O presente estudo teve como objetivo conhecer e investigar o processo de inclusão de pessoas com transtorno mental grave no mercado de trabalho formal no município de Porto Alegre/RS. Para tanto, foram realizadas entrevistas semiestruturadas individuais com cinco terapeutas ocupacionais que trabalham ou que já trabalharam com a inclusão de pessoas com diagnóstico de transtorno mental grave e persistente no mercado de trabalho formal na cidade de Porto Alegre/RS. As entrevistas foram analisadas conforme a técnica de análise de conteúdo proposta por Bardin. Os resultados alcançados revelam que o processo de inclusão é complexo e exige a participação e o comprometimento de todos.  Diferentes empresas estão contratando este público que tem ocupado variados postos de trabalho e demonstrado bons resultados, progredindo e adquirindo estabilidade nos seus locais de trabalho. Como pontos positivos para esse processo, destaca-se os apoios e suportes disponibilizados pelas empresas e pelos terapeutas ocupacionais que tornam possível a inclusão. Algumas das dificuldades elencadas dizem respeito à presença de barreiras atitudinais, metodológicas, responsabilização da família e à existência de empresas pouco comprometidas com a inclusão. Podemos perceber a efetividade das práticas e processos de inclusão das pessoas com transtorno mental grave no mercado de trabalho formal, entretanto, é preciso que estas práticas tenham continuidade e que novas experiências despontem.

 

 


Palavras-chave


Inclusão Social; Trabalho Formal; Saúde Mental; Transtorno Mental Grave; Emprego Apoiado.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15602/1983-9480/cm.v21n42p41-54

 

Editora Universitária Metodista IPA
Rua Cel. Joaquim Pedro Salgado, 80 - Prédio A - Sala A001
Cep.: 90420-060 - Porto Alegre - RS | (51) 3316.1249