A TRANSFERÊNCIA INTERNACIONAL DE DADOS DE CLIENTES BRASILEIROS DE LOJAS VIRTUAIS QUE UTILIZAM O MODO DROPSHIPPING DE ENVIO DE MERCADORIAS

Amanda Closs Zandonai

Resumo


Em um mundo tecnológico é usual a crescente coleta de dados pessoais dos usuários por empresas. Na utilização de redes sociais ou compras online, as instituições coletam informações das pessoas utentes como nome, email, endereços, contatos e gostos. Ocorre que, esses dados são muito importantes no mundo econômico, uma vez que definem os hábitos de consumo pessoais, facilitando às organizações direcionar os seus produtos à gama certa de consumidores. O modo dropshipping de vendas não é um método novo no mercado, mas seu crescimento é cada vez maior e pessoas que desejam começar seu próprio negócio na internet viram a possibilidade de iniciar um negócio sem a necessidade de grandes investimentos e mão de obra. Este modelo de vendas foi inicialmente adotado pelo site de leilões, hoje conhecido no mundo inteiro, o EBAY. Hoje, a China entrou nesse mercado e tornou-se popular por seus preços baixos, sem burocracia e tributos quase a custo zero. É necessário a análise da transferência internacional de dados motivada pela realização de compras online, partindo da possibilidade do consentimento dos consumidores, pelo entendimento da nova Lei geral de proteção de dados (Lei n. 13.709/2018).


Palavras-chave


lei de proteção de dados, tranferência internacional de dados



DOI: https://doi.org/10.15602/2525-3883/j&s.v6n1p%25p