PERCEPÇÃO DOS AUTÓCTONES SOBRE A OFERTA DE ESPAÇOS PÚBLICOS ENQUANTO PRODUTOS TURÍSTICOS

Mario Meneses Santos

Resumo


Este trabalho aborda a relação entre a promoção turística ofertada pelo poder
público de Porto Alegre mediante a percepção dos autóctones então, como atuantes na ressignificação de espaços públicos urbanos. Mais precisamente, trata do tema de relação entre a oferta turística de Porto Alegre de seus espaços Públicos. Esta pesquisa questiona; se os espaços públicos urbanos servem primeiramente para autóctones, e por consequência, aos turistas a oferta turística organizada pelo poder público corresponde ao que os primeiros entendem como relevantes e representativos? Os procedimentos metodológicos se deram através de uma abordagem qualiquantitativa e comparativa. O levantamento de arquivo ocorreu entre agosto de 2018 até novembro de 2019. O levantamento se caracterizou através de verificação de critérios advindos da literatura exposta, em seguida se deu a aplicação de uma entrevista com um representante do poder público e posteriormente, questionários online advindos da ferramenta questionários Google que totalizaram 46 respondentes. Através dos resultados e da análise de dados foi possível analisar que existe uma concordância entre o Poder Público e a comunidade autóctone nos aspectos pertinentes á interatividade e representatividade do produto turístico ofertado. O que o trabalho constatou, é que não há entre o planejamento do poder público a participação da comunidade para a formação do seu produto turístico. Também se fez possível constatar que existe um problema na comunicação entre esses
dois atores, com isso dificultando a atividade turística na capital.


Palavras-chave


Espaços públicos urbanos; poder público; autóctones; produto turístico.

Texto completo:

PDF